27 de dez de 2011

MENSAGENS DO COMANDO ESTELAR




O PRAZO É TÃO CURTO QUE PROCURAREMOS COMEÇAR NOSSA MISSÃO NO PRÓXIMO MÊS

Mensagem do Comando Estelar
SaLuSa, December 16, 2011
Comando Estelar-UOL Blog


UM - A Fé realmente pode mover montanhas se houver um número suficiente de vocês reunidos, e à medida que progridem para o ano final da Ascensão, ela torna-se mais poderosa e muito além da sua capacidade atual.

Sim, queridos, vocês estão numa corrida, mas uma corrida muito desejável e que irá preencher o seu anseio de ascender. Haverá uma mistura enorme de surpresas, portanto, estejam preparados para reconsiderar crenças mantidas há muito tempo. Algumas experiências estarão ligadas às mudanças da Terra e dependendo do seu destino final, isso irá determinar até que ponto estarão envolvidos nisso. Seja o que for que aconteça, serão tomadas precauções para protegê-los , mas também é da sua responsabilidade estar atentos e preparados.

DOIS - A nível consciente acontecerá uma ‘separação’, porque os que são da Luz e estão continuamente elevando suas vibrações, muitas vezes se esquecem da oportunidade que lhes está sendo apresentada. Será verdadeiro dizer que, se estão subconscientemente tentando alcançar uma compreensão mais vasta sobre o propósito da vida, serão ajudados.

Claro que haverá muitos anúncios que tornarão muito claro o que está acontecendo, e o nosso envolvimento nisso. A nossa intervenção é necessária e dará resposta aos seus problemas imediatos, que estão por resolver. Estamos acelerando as movimentações finais que os nossos aliados estão realizando para nos dar a oportunidade ideal para levar para diante o nosso plano de revelarmos a verdade sobre nós.

TRÊS - Usem as celebrações que estão chegando para ter o descanso merecido dos problemas do dia-a-dia, que ocupam suas mentes. Pensem positivo e vivam na Luz que criaram em torno de si. Sejam amistosos e sintam a alegria que surge com a compreensão do que parece ter sido uma experiência longa e difícil, pois estão ‘espreitando’ através da porta que é a abertura para o ano de 2012.

Vejam a Luz cintilante que mostra o caminho para a realização em toda a sua glória, e estarão ‘cavalgando na crista dessa onda’. Está tudo preparado e a Federação Galáctica já ocupou posições para erguer o palco final do que tem sido uma missão notável.

Para nós, com o nosso ciclo de vida muito vasto, temos seguido o seu progresso durante milhares de anos e partilhamos a sua emoção sobre o que lhes será revelado dentro em breve. Isso abrangerá o seu verdadeiro parentesco conosco, como seus Irmãos e Irmãs de Luz. Nessa ocasião, vamos começar a mostrar-nos e a encontrar-nos com os que terão um papel principal a desempenhar juntamente conosco, num futuro próximo.

QUATRO - Os que pertencem às trevas continuam a ser um estorvo mas o seu poder está muito reduzido, e sem as suas abundantes bases subterrâneas, têm pouco a que se agarrar. Continuamos afastando os que constituem uma ameaça para a Terra e para os seus povos. Não tardará muito e ‘eles’ terão de admitir que estão apoiando uma causa perdida, pois a estrutura e o comando foram gravemente afetados. Estejam certos que estamos bem cientes sobre quem está por trás das tentativas de nos causar problemas, e não irão atrasar o nosso plano que se manifestará muito em breve nas suas vidas.

Agora o prazo é tão curto que procuraremos começar a nossa missão no próximo mês, porque estamos sendo pressionados para começar o mais rápido possível. Tenham a certeza que logo irá chegar o momento em que todas as peças se encaixarão.

CINCO - Nada do que experimentaram até hoje se pode igualar ao período que está chegando.

Estão entrando numa nova era em que muitos trabalhos não serão mais realizados pelo Homem. Os que forem passíveis de automatização serão executados através de robôs ou de programas de Informática. Só as necessidades especiais serão executadas pelo Homem, e mesmo assim, serão auxiliados por autômatos.

O seu lugar é coordenar as funções e assegurar que os fins sejam atingidos dentro do período de tempo estipulado. Os projetos mais extensos serão controlados a partir das nossas naves e alguns de vocês virão a bordo com este objetivo.

Finalmente, o seu tempo será preenchido com trabalho criativo e não com as velhas maneiras com que vocês se ocupavam, e será mais produtivo. Será um lugar-comum trabalhar para o bem de todos, porque compreenderão que a Unidade que os aglutina depende da partilha do Amor e da Luz.

SEIS - Essa vontade de se unirem irá tornar-se mais forte à medida que o tempo passar, e já há provas disso pois já estão começando a agir como uma só voz para ultrapassar a recusa dos seus direitos. O ímpeto continuará a crescer e não há maneira de ninguém poder impedi-lo de atingir os seus objetivos. Tudo faz parte das mudanças naturais que resultam das energias intensas que rodeiam a Terra. Nenhum de vocês pode evitar a reação a essas energias, e os Trabalhadores da Luz irão incorporá-las sem problemas. No entanto, os que ainda não ‘acordaram’, sentirão o desconforto e poderão sentir-se confusos.

SETE -Tudo é energia, porque em última instância é a constituição de tudo o que existe, e ajuda a compreender o que está acontecendo agora, se virem isso dessa maneira.

Quanto mais altas forem as vibrações mais vocês se transformam em Seres de Energia, e perdem a sensação de peso que existe nas vibrações baixas. Também permite uma maior liberdade de movimentos através do poder criativo dos pensamentos. Por exemplo, vocês podem mudar a aparência do seu corpo segundo a sua vontade, e aparecer perante outra pessoa exatamente como desejam. Isso pode ser útil quando quiserem ser reconhecidos – lembrem que vocês manifestaram vários aspectos (tipos) durante centenas de vidas.

Como mencionamos recentemente, finalmente vocês não terão necessidade da ‘forma’, tal como a compreendem, porque serão Seres de Luz.

OITO - Quanto mais compreenderem a existência nos reinos mais elevados, mais irão compreender que a sua experiência na Mãe Gaia está muito longe de onde vieram. No entanto, isso provou ser uma experiência muito benéfica, e vocês sabiam que isso lhes daria uma experiência maravilhosa para fazer avançar a sua evolução espiritual, muito mais rapidamente do que seria conseguida de outra maneira. Todos vocês enfrentaram o ‘desafio da dualidade’ e, podemos dizer que agora é tempo de erguerem seus pés e descansar. As suas experiências estarão mais alinhadas com os seus desejos e escolherão o que quiserem ser.
  
NOVE - Eu sou SaLuSa, de Sirius, e estou encantado por estarmos tão perto da Divulgação, porque ela irá permitir que muita informação sobre nós seja conhecida. Que Deus os Abençoe.

26 de dez de 2011

ENSAIO: "SHAMBALLA"


SHAMBALLA

Chega de reencarnação
Decisão muito séria de todo o comando estelar está em andamento em nosso planeta e trata-se de um verdadeiro impulso rumo aos avanços evolutivos no mundo físico,em especial no sistema solar: o processo chamado de reencarnação deixa de existir em nossas vidas. Oque significa isto?
Esta pode ser sua última experiência no planeta, habitando um corpo atômico! Muito já disse sobre a desgraça que nós humanos projetamos ao mundo astral:medo, auto-piedade, preguiça, fúria.......mas talvez não tenha ficado muito claro a questão do corpo astral, esta parte de nós que se torna plenamente viva e consciente assim que morremos para o corpo físico.
Reptilianos, grays e tantos outros que habitam um corpo atômico, não são comparáveis a nós. Somos fragmentados e duais. Vivemos em dois mundos dentro da experiência terrena. Mas é bom refrescar a memória para o seguinte fato: seu corpo astral está atuando neste exato momento...não é que ele entrará em ação após a morte. No ato da leitura, por exemplo, aonde estamos plenamente conectados com o presente, o corpo astral está calmo e muito mais uniforme. Ele chega a se tornar parecido com o corpo físico e para os videntes(neste momento) nossa configuração energética é um campo luminoso e incandescente bem harmonioso. Mas em geral este corpo é uma massa fotônica caótica e mutante. Após a morte atômica, o ser divino reconhece seu novo corpo e um novo ambiente de vida. Pois bem: é esta cadeia de eventos, de indas e vindas, que está terminando.
Filmes como “Nosso Lar”, de cunho espírita, exemplificam bem uma possibilidade de vida após a morte, uma vida que estamos levando a milhares de anos.
Mas a vida evolui e todo o universo chamado de físico está começando novos arranjos. Deixaremos de possuir um corpo atômico neste molde atual, haverá a tão esperada fusão de físico e astral. Nos tornaremos unos novamente e avançaremos a dimensões superiores!

Mestres ascensionados e shamballa
O grande despertar espiritual de uma boa parcela dos ocidentais está ligado ao Mestre Saint Germain e a todos os outros Mestres que compõem a aliança de seres que evoluíram enquanto humanos. São seres que experimentaram, como ainda fazemos, a cadeia cármica da reencarnação. Mas lembraram com impecabilidade de quem são e agiram de tal maneira em sua última vida, que muitos, após a morte, desapareceram do planeta físico. Não ocorreu a morte do corpo atômico,este foi transmutado(na hora desejada) e devolvido ao mar energético da mãe terra. Ascensionaram! Deixaram de renascer em corpo astral e avançaram para vivências superiores.
Possuem um verdadeiro amor por todos nós. Somos irmãos e eu em particular, tenho verdadeira adoração pelos ensinamentos do EU SOU.
Aqui vai uma crítica: é um erro dizer que os mestres ascensionados estão confinados na terceira dimensão...em plano astral superior! Grandes personalidades, as quais tenho grande respeito, estão equivocadas. Exemplo: Omraam Aivanhov e todos que se comunicam através do site autres dimensions!!!!
Mestres Ascensionados decidiram permanecer na egrégora terrestre para nos ajudar. Nada impede que algum deles esteja em outra galáxia agora em algum tipo de auxílio à outra civilização...são seres que já conquistaram certa independência.
Shamballa é a cidade que todos eles construíram em altíssima e sutil esfera energética do plano astral...através do pensamento(óbvio)!
Shamballa é um verdadeiro entreposto galáctico.
Devemos lembrar que milhões de seres estão agora em campos de percepção totalmente inconcebíveis a nós. Somos invisíveis a eles e vice-versa. Mas estes sabem de nós e de nossa luta. E quando desejam nos entender e conhecer, são obrigados a construir corpos mais densos. Saem da condição de altíssimas energias e velocidades para tecer o fóton. Mas nunca chegam na estrutura atômica, é carga muito pesada e polarizada! Por isso Shamballa recebe seres de diversidade inacreditável.
E uma das maiores responsabilidades destes tantos seres amorosos, é dar a notícia a quem morre por aqui, que chegou o fim de um ciclo! Dependendo da evolução alcançada em vida, o ser pode entender e sentir num segundo tudo oque anda acontecendo por aqui e talvez decidir ficar em shamballa e se unir ao comando estelar.
Mas saibam que a grande maioria deverá ser encaminhada a reencarnações em outros planetas físicos. Estes foram tão perdidos e desconectados em vida,que assim que morrem ficam mais tontos ainda e necessitam de todo o auxílio possível.
Só que desta vez, as regras astrais vividas e conhecidas pelo espiritismo(por exemplo) não valem mais: após a morte devemos tomar conhecimento das ações no planeta através de consciências mais evoluídas e que estão há anos por aqui já em auxílio nesta bela transição chamada de nova era!



22 de dez de 2011

HERMES TRISMEGISTO E A FÍSICA MODERNA



...se tudo é MENTE,então posso dizer que muitas neste planeta estão se tornando UMA...
venho pensando neste ensaio há algum tempo e descobri que outros já pensaram!agradecimentos e parabenizações ao site:
www.saindodamatrix.com.br
seus organizadores mandaram bem neste ensaio,apenas  alterei um pouquinho o lay-out ...









                                                                                                 
A filosofia hermética diz que "Os lábios da sabedoria estão fechados, exceto aos ouvidos do Entendimento". Durante os milênios os círculos esotéricos têm se pautado neste ensinamento para disseminar suas informações. Ensinamentos eram passados de Mestre para discípulo, disfarçados em inúmeros rituais e simbologias. Neste meio, um certo livro se destaca pelos seus ensinamentos, que formam a base de toda a magia, de todo o universo perceptível e imperceptível aos nossos sentidos: O Caibalion. Escrito por quem se autodenomina Os três iniciados, trata-se de uma compilação dos ensinamentos que (supostamente) vieram do Antigo Egito, por meio de Hermes Trismegisto, que talvez seja o primeiro dos Avatares a aportar neste planeta.
Transcreverei do próprio livro o texto de apresentação de Hermes:
"Entre os Grandes Mestres do antigo Egito, existiu um que eles proclamavam como o Mestre dos Mestres. Este homem, se é que foi verdadeiramente um homem, viveu no Egito na mais remota antiguidade. Ele foi conhecido sob o nome de Hermes Trismegisto. Foi o pai da Ciência Oculta, o fundador da Astrologia, o descobridor da Alquimia. Os detalhes da sua vida se perderam devido ao imenso espaço de tempo, que é de milhares de anos, e apesar de muitos países antigos disputarem entre si a honra de ter sido a sua pátria. A data da sua existência no Egito, na sua última encarnação neste planeta, não é conhecida agora mas foi fixada nos primeiros tempos das mais remotas dinastias do Egito, muito antes do tempo de Moisés. As melhores autoridades consideram-no como contemporâneo de Abraão, e algumas tradições judaicas dizem claramente que Abraão adquiriu uma parte do seu conhecimento místico do próprio Hermes. Depois de ter passado muitos anos da sua partida deste plano de existência (a tradição afirma que viveu trezentos anos) os egípcios deificaram Hermes e fizeram dele um dos seus deuses sob o nome de Thoth. Anos depois os povos da Antiga Grécia também o deificaram com o nome de Hermes, o Deus da Sabedoria. Os egípcios reverenciaram por muitos séculos a sua memória, denominando-o o mensageiro dos Deuses, e ajuntando-lhe como distintivo o seu antigo título Trismegisto, que significa o três vezes grande, o grande entre os grandes.
Nos primeiros tempos existiu uma compilação de certas Doutrinas básicas do Hermetismo, transmitida de mestre a discípulo, a qual era conhecida sob o nome de Caibalion, cuja significação exata se perdeu durante vários séculos. Este ensinamento é, contudo, conhecido por vários homens a quem foi transmitido dos lábios aos ouvidos, desde muitos séculos. Estes preceitos nunca foram escritos ou impressos até chegarem ao nosso conhecimento. Eram simplesmente uma coleção de máximas, preceitos e axiomas, não inteligíveis aos profanos, mas que eram prontamente entendidos pelos estudantes; e além disso, eram depois explicados e ampliados pelos Iniciados hermetistas aos seus Neófitos."

Um Mestre não se mede pelo número de seguidores, ou do que falam dele, mas sim do que ele fala e faz. No caso de Hermes, tudo o que temos é o Caibalion, mas este "livrinho" de 56 páginas é de tal profundidade e grandeza que tremo só de escrever sobre ele. O livro versa sobre os sete princípios herméticos, expostos no Caibalion, enquanto os iniciados fazem comentários sobre eles.
Os Princípios da Verdade são Sete; aquele que os conhece perfeitamente possui a Chave Mágica, com a qual todas as Portas do Templo podem ser abertas completamente.
(O Caibalion)
São eles o Princípio do Mentalismo, da Correspondência, da Vibração, da Polaridade, do Ritmo, da Causa e Efeito e do Gênero. Vejamos o primeiro, transcrito do livro:

I. O Principio do Mentalismo
O TODO é MENTE; o Universo é Mental
(O Caibalion)
Este Princípio explica que tudo é Mental, que O TODO é espírito, é incognoscível e indefinível em si mesmo, mas pode ser considerado como uma mente vivente infinita e universal. Ensina também que todo o mundo fenomenal ou universo é simplesmente uma Criação Mental do TODO, sujeita às Leis das Coisas criadas, e que o universo, como um todo, em suas partes ou unidades, tem sua existência na mente do TODO, em cuja Mente vivemos, movemos e temos a nossa existência. Este Princípio, estabelecendo a Natureza Mental do Universo, explica todos os fenômenos mentais e psíquicos que ocupam grande parte da atenção pública, e que, sem tal explicação, seriam ininteligíveis e desafiariam o exame científico.
Este Princípio explica a verdadeira natureza da Força, da Energia e da Matéria, como e por que todas elas são subordinadas ao Domínio da Mente. Um velho Mestre hermético escreveu, há muito tempo: "Aquele que compreende a verdade da Natureza Mental do Universo está bem avançado no Caminho do Domínio.


Vemos aqui uma correspondência com um dos princípios elementares da física quântica, a Superposição coerente. Mas o que é isso?
Quando um elétron (ou qualquer outra partícula) é observado, ele se apresenta com propriedades físicas bem definidas: localiza-se em um ponto preciso do espaço, em um momento determinado, e seus atributos podem ser medidos (dentro de certos limites estabelecidos pelo princípio da incerteza de Heisenberg). Antes da medição ser feita, porém, essas propriedades e atributos não existem. O que existe é apenas a probabilidade de que o elétron apresente tais e tais características, bem como outras características opostas. Isto é, o elétron tanto pode estar no ponto x quanto no ponto y ou no ponto z, e assim por diante, para cada um de seus atributos (velocidade, momento angular, spin, etc.). Antes de medirmos os elétrons, todos esses atributos encontram-se entrelaçados, e é esse entrelaçamento que produz as ondas de probabilidade. Os físicos denominam isso de função de onda ou superposição coerente porque, nesse estado, todas as probabilidades do elétron se superpõem umas às outras. Durante o ato da medição o entrelaçamento se desfaz e, dentre todos os conjuntos de atributos possíveis ao elétron, apenas um torna-se "real". Esse momento em que a superposição de ondas se desfaz é o chamado colapso da função de onda. Enquanto o elétron não for medido, ele não tem nenhuma característica concreta. É a medição que cria as características do elétron e, assim, num certo sentido, é a minha observação que cria o elétron. Em outras palavras, a realidade que eu percebo é criada pela minha percepção.
Uma partícula, que pensamos ser algo sólido, existe no que chamamos de superposição, espalhando uma onda de possíveis localizações, todas ao mesmo tempo. E quando você olha, ela passa a estar em apenas uma das possíveis posições. Ou seja: As coisas só se tornam constantes quando você olha pra elas. Quando não olhamos é como uma onda, quando olhamos é como uma partícula.
A superposição implica que uma partícula pode estar em dois ou mais lugares ao mesmo tempo.
É um conceito muito bizarro, mas é um dos pilares da física quântica. Essa constatação fez o renomado físico Stephen Hawking se perguntar: A distinção (entre o real e o imaginário) está apenas em nossas mentes?
No artigo A Revolução Quântica e a Física de Alta Energia, de Cláudio Roberto, vemos que, na realidade, a ciência não consegue provar que uma partícula subatômica exista antes de detectá-la, nem saber onde ela surgirá, mas apenas dizer que há uma probabilidade de ela existir e de aparecer em determinado local. Quatro hipóteses tentam explicar esse "problema de medição":
A interpretação de Copenhague diz que essa probabilidade é tudo o que podemos e o que há para saber; é algo absolutamente aleatório saber aonde a partícula aparecerá (teoria defendida por Niels Bohr e Werner Eisenberg); 
A Teoria das Variáveis Ocultas afirma que os eventos quânticos não são puramente aleatórios, mas que as partículas surgem em determinado local devido a razões ocultas que ainda iremos descobrir (defendida por Einstein, David Bohm e outros); 
A Hipótese dos Muitos Mundos afirma que, quando uma partícula aparece em determinado local, todas as outras probabilidades de ocorrências acontecem em outros Universos inteiramente diferentes. Essa hipótese, apesar de fantástica, foi desenvolvida num estilo matemático muito sofisticado (proposta por Everett, Wheeler e Graham); 
A conexão Matéria/Mente afirma ser possível que a própria mente do observador, no ato de medir, influencie a manifestação do evento; seria a mente o fator que interferiria no aparecimento e no local do aparecimento da partícula subatômica ou até a criaria (sustentada por Eugene Paul Wigner, Jack Sarfatti, Walker e Muses).
Einstein, que defendia a segunda teoria, sobre a primeira esbravejou: "Deus não joga dados com o Universo!". A imprevisibilidade quântica era demais para ele aceitar, embora Bohr e outros, usando as próprias teorias de Einstein, explicassem todas as suas objeções. A disputa entre as duas primeiras teorias significava provar se a mecânica quântica era imprevisível ou determinada, e as duas últimas deixavam transparecer que, se a primeira fosse correta, a minha mente teria a capacidade de escolher o meu destino, dentre todas as probabilidades existentes (livre-arbítrio). Até agora a ciência vem comprovando (com sucesso) a primeira teoria.
No filme What the bleep do we know vemos o físico Amit Goswami explicar: "O mundo tem várias formas de realidade em potencial, até você escolher. Mas, como um objeto pode ter dois estados ao mesmo tempo? Em vez de pensarmos nas coisas como possibilidades, temos o hábito de pensar que as coisas que nos cercam já são objetos que existem sem a minha contribuição, sem a minha escolha. Você precisa banir essa forma de pensar, tem que reconhecer que até o mundo material que nos cerca - as cadeiras, as mesas, as salas, os tapetes - não são nada além de possíveis movimentos da consciência, e estou a todo tempo escolhendo momentos nesses movimentos para manifestar minha experiência atual.
É algo radical que precisamos compreender, mas é muito difícil, pois achamos que o mundo já existe independente da minha experiência. Mas não é assim, e a física quântica é bem clara. O próprio Eisenberg, depois da descoberta da física quântica, disse que os átomos não são objetos, são tendências. Em vez de pensar em objetos, você deve pensar em possibilidades.
Tudo é possibilidade subconscientemente.
Mas falar de partículas não ajuda muito a explicar as conseqüências da física quântica, portanto vamos procurar uma representação mais fácil de lidar, que encontrei num artigo da Scientifc American: Pega-se uma carta de baralho com a borda perfeitamente afiada e tenta-se equilibrá-la sobre a borda em cima de uma mesa. De acordo com a física clássica, a carta permanecerá, em princípio, equilibrada para sempre. Já de acordo com a física quântica (função de onda de Schrödinger), a carta cairá em poucos segundos, mesmo que se faça o máximo para equilibrá-la - e cairá simultaneamente para os dois lados, direito e esquerdo. Quando se põe em prática esse experimento com uma carta verdadeira, conclui-se que a física clássica está errada: a carta cai mesmo. Mas o que se vê é que ela cai para a direita ou para a esquerda, aparentemente ao acaso, e nunca para a direita e para a esquerda ao mesmo tempo, como a equação de Schrödinger quer nos fazer acreditar. Essa contradição enganosa é o próprio cerne de um dos mistérios mais originais e duradouros da mecânica quântica.
Mundos múltiplos
Em meados dos anos 50, americano Hugh Everet III, então estudante da Universidade de Princeton, decidiu rever o postulado do colapso em sua tese de doutoramento. Ele levou a idéia quântica até o limite, com a seguinte pergunta: "O que aconteceria se a evolução temporal do universo inteiro fosse sempre unitária?" Neste cenário, a função de onda evolui de forma determinista, não deixando nenhum lugar para o misterioso colapso não-unitário ou para Deus jogar seus dados. Neste caso, a nossa carta de baralho quântica estaria de fato em dois lugares ao mesmo tempo. Mais ainda: a pessoa que estivesse olhando para a carta entraria numa superposição de dois estados mentais diferentes, cada qual percebendo um dos resultados. Se apostasse dinheiro no palpite de que a carta cairia com a face voltada para cima, acabaria numa superposição de sorriso e cara fechada, pois ganharia e perderia a aposta simultaneamente.

Everett intuiu brilhantemente que os observadores desse determinista (mas esquizofrênico) mundo quântico poderiam perceber a velha e boa realidade com a qual estamos familiarizados. Mais importante: eles perceberiam uma aparente casualidade, que obedeceria a regras probabilísticas perfeitamente definidas. O ponto de vista de Everett ficou conhecido como a interpretação dos mundos múltiplos da mecânica quântica, porque cada componente da superposição que constitui um observador reconhece ou percebe o seu próprio mundo. Ao remover o postulado do colapso quântico, esse ponto de vista simplifica a teoria subjacente. Mas o preço que se paga pela simplicidade é a conclusão de que essas percepções paralelas da realidade são igualmente reais.
O trabalho de Everett foi ignorado por quase duas décadas. Muitos físicos confiavam que haveria de surgir uma teoria fundamental que mostrasse que o mundo era, afinal de contas, clássico em certo sentido, sem esquisitices do tipo "um corpo poder ocupar dois lugares ao mesmo tempo". Mas toda uma série de novos experimentos iria pôr fim àquela expectativa. O experimento de "escolha retardada", proposto por Max Tegmark e John Archibald Wheeler, demonstrou mais uma característica quântica da realidade que desafia as descrições clássicas: não apenas um fóton pode estar em dois lugares ao mesmo tempo, como também o experimentador pode escolher, depois do acontecimento, se o fóton estava em dois lugares ou somente em um. Em resumo, o veredicto da experiência é: a esquisitice do mundo quântico é real, gostemos disso ou não.
Ainda no filme What the bleep..., vemos Jeffrey Satinover falar sobre isso: "Agora você pode ver em inúmeros laboratórios pelos EUA objetos que são suficientemente grandes para serem vistos a olho nu e que estão em dois lugares simultaneamente. Pode-se até tirar uma foto disto! Suponho que se você mostrasse essa foto, as pessoas diriam 'Legal, posso ver essa luz colorida, um pouco ali, um pouco aqui... é a foto de dois pontinhos, o que tem demais? Estou vendo duas coisas.' Não! É uma coisa só em dois lugares ao mesmo tempo. Acho que as pessoas não se impressionariam, pois acho que elas não acreditam. Não que digam que sou um mentiroso, ou que os cientistas estão confusos. Acho que é tão misterioso que não dá para compreender o quão fantástico é. Todos viram Jornada nas Estrelas e o teletransporte, então se perguntam 'Mas e daí, o que isso quer dizer?' Mas temos que parar e pensar no que isso realmente significa. É o mesmo objeto e ele está em dois lugares ao mesmo tempo!"
Voltando ao artigo da Scientific American, vemos que o trabalho de Everett deixou uma pergunta crucial: se o mundo real tem superposições macroscópicas tão bizarras, por que não as percebemos? A resposta veio em 1970, por meio de um artigo de Heinz Dieter Zeh, da Universidade de Heidelberg, Alemanha. Ele mostrou que a equação de Schrödinger dá origem ao efeito de não-coerência. Nossa carta quântica derrubada está sempre recebendo o impacto de enxeridos fótons e moléculas de ar, que podem comprovar se a carta caiu para a direita ou para a esquerda, destruindo dessa forma a superposição e tornando-a inobservável.
Ou seja, o mundo está sempre contribuindo para que permaneçamos na ilusão de que as coisas são "normais", ou seja, que a carta vai cair com apenas um dos lados pra cima, mais ou menos como os agentes da Matrix garantem que os humanos permaneçam na ignorância (como no fim do episódio da casa mal-assombrada em Animatrix). Qualquer semelhança com a teoria de Maya dos budistas não é mera coincidência.
É como se o ambiente desempenhasse o papel de observador, causando o colapso da função de onda (uma simples molécula de ar sendo o suficiente). Para todos os fins práticos, essa minúscula interação muda a superposição para a situação clássica num abrir e fechar de olhos. Mas, como pode um fóton desempenhar a função de "observador"? Não requer uma "consciência", um "julgamento", pra interferir na realidade? Então o fóton TAMBÉM é parte da consciência?! E lá vamos nós de volta ao budismo, onde tudo, tudo MESMO, é vivo e possui consciência.



17 de dez de 2011

UMA EXPERIÊNCIA EM CONSCIÊNCIA CÓSMICA


PARAMAHANSA YOGANANDA "Raras vezes Sri Yukteswar expressava-se por enigmas;fiquei confuso.Ele golpeou meu peito levemente,acima do coração.
Meu corpo imobilizou-se como se tivesse raízes;o ar saiu de meus pulmões como se um imã enorme o extraísse.Instaneamente,a alma e a mente romperam com sua escravidão física e jorraram de cada um dos meus poros como luz perfurante e fluida.
A carne parecia morta e,contudo,em minha intensa lucidez,percebi que nunca antes estivera tão plenamente vivo.Meu senso de identidade já não estava mais limitado a um corpo e sim,englobando átomos à minha volta.Pessoas em ruas distantes pareciam mover-se suavemente em minha própria e remota periferia.Raízes de plantas e árvores apareciam através de uma tênue transparência do solo;eu distinguia a circulação da seiva.
A vizinhança inteira surgia desnuda diante de mim.Minha visão frontal comum havia-se transformado em vasta visão esférica que percebia tudo simultaneamente.Pela parte de trás da cabeça,vi homens caminhando na distante Rai Ghat Lane e também notei uma vaca branca aproximando-se preguiçosamente.Quando chegou ao portão aberto do ashram,observei como se o fizesse com meus dois olhos físicos.Depois que passou para trás do muro de tijolos do pátio,continuei a vê-la,claramente.
Todos os objetos em minha visão panorâmica tremiam e vibravam como um filme acelerado.Meu corpo e o do meu Mestre,o pátio com colunas,a mobília,o chão,as árvores e a luz do sol,tornavam-se,de vez em quando,violentamente agitados até que tudo se fundia num mar luminescente,assim como os cristais de açúcar,mergulhados num copo de água,diluem-se depois de serem sacudidos.A luz unificadora alternava-se com materializações de forma e as metamorfoses revelavam a lei de causa e efeito na criação.
Uma alegria oceânica rebentava nas praias serenamente intermináveis em minha alma.O espírito de Deus,percebi,é bem-aventurança inesgotável;seu corpo compreende incontáveis membranas de luz.Um sentimento de glória crescente dentro de mim começou a envolver cidades,continentes,a Terra,o sistema solar,constelações,as tênues nebulosas e os universos flutuantes.O cosmos inteiro,suavemente luminoso,semelhante a uma cidade vista de alguma distância à noite,cintilava dentro da infinitude de meu ser.
Para além de meus contornos definidos,a luz ofuscante empalidecia ligeiramente nos confins mais longínquos;ali eu via uma radiação branda,que nunca diminuía.Era indescritivelmente sutil;as figuras dos planetas constituíam-se de uma luz mais densa.
A divina dispersão de raios jorrava de uma fonte perpétua, resplandecendo em galáxias,transfiguradas com auras inefáveis.Vi,repetidas vezes,os fachos criadores condensarem-se em constelações e depois dissolverem-se em lençóis de transparentes chamas.
Por reversão rítmica,sextilhões de mundos transformavam-se em brilho diáfano e ,em seguida,o fogo se convertia em firmamento.
Conheci o centro do empírico como um ponto de percepção intuitiva em meu coração.Esplendor irradiante partia de meu núcleo para cada parte da estrutura universal.O beatífico amrita,néctar da imortalidade,pulsava através de mim,com fluidez de mercúrio.Ouvi ressoar a voz criadora de Deus,OM,a vibração do motor cósmico.
De súbito, o fôlego voltou aos pulmões.Com decepção quase insuportável,constatei que havia perdido minha infinita vastidão.
Estava novamente limitado à jaula humilhante de meu corpo,tão desconfortável para o espírito."




15 de dez de 2011

BÓSON DE HIGGS


LHC não confirma nem descarta existência do Bóson de Higgs

Redação do Site Inovação Tecnológica - 14/12/2011




Talvez seja, talvez não seja
Talvez.
Esta foi a tônica do tão esperado comunicado que os cientistas do LHC fizeram sobre suas pesquisas com o bóson de Higgs, a "partícula de Deus", que poderia explicar a "materialidade da matéria".
Assim como os resultados anunciados, os rumores que antecederam o anúncio sobre o bóson de Higgs ficaram a meio caminho da realidade.
Na verdade, tanto o detector CMS quanto o detector ATLAS encontraram sinais daquilo que poderia ser o bóson de Higgs, embora em intensidades e concentrações diferentes.
Isto é significativo porque o fato de que dois experimentos encontraram indícios, ainda que frágeis, na mesma faixa de energia, é um sinal de que o bóson de Higgs realmente poderia estar lá.
Mas os dados ainda não são suficientes, e as conclusões ainda não são fortes o bastante nem para confirmar e nem para descartar a existência do bóson de Higgs.
Assim, tudo fica adiado para 2012.
Em março, os cientistas apresentarão um refinamento dos resultados apresentados agora, mas usando os mesmos dados. Só mesmo no final de 2012 haverá dados adicionais em quantidade suficiente para tentar alcançar os 5 sigma, que indicariam uma descoberta - ou para descartar a existência daquele que permanece como o "presumido bóson de Higgs".

Sem conclusões
Os experimentos Atlas e CMS estão procuram sinais da partícula entre bilhões de colisões que ocorrem em cada "corrida" do LHC - se ele existir, os físicos saberão por pequenos picos que se sobressairão de seus gráficos.
O Modelo Padrão da Física não prevê uma massa exata para o bóson de Higgs. Por isso, os físicos precisam utilizar aceleradores de partículas para procurar o bóson dentro de um intervalo de massas - medidas em giga-elétron-volts (GeV).
Essa faixa vem sendo estreitada cada vez mais ao longo dos últimos anos.
Os tão esperados picos nos gráficos surgiram ao redor da marca de 124 e 125 GeV - o que é cerca de 130 vezes mais pesado do que os prótons encontrados no núcleo dos átomos.
O problema é que o pico foi fraco demais, e bem pode ser creditado a uma flutuação nos dados, um evento aleatório, tal como jogar dois dados e obter dois pares de seis em sequência.
"O excesso [o pico nos dados] pode ser o resultado de uma flutuação, mas também pode ser algo mais interessante. Não podemos excluir nada neste estágio," disse Fabiola Gianotti, porta-voz da equipe que trabalha no detector Atlas.
"O excesso é muito compatível com o (bóson de) Higgs do Modelo Padrão ao redor de 124 GeV e pouco abaixo disso, mas a significância estatística dele ainda não é suficiente para dizer nada conclusivo," concordou Guido Tonelli, porta-voz dos cientistas do detector.

Por que o Bóson de Higgs é tão importante?
Logo depois do Big Bang, nos primeiros instantes de sua existência, o Universo primordial era tão quente e denso que tinha a consistência de um líquido.
Só depois do esfriamento dessa sopa primordial, conhecida como plasma de quarks-glúons, é que surgiram os átomos da matéria que conhecemos.
Destrinchando esses átomos, os físicos já encontraram várias famílias de partículas.
O problema é que elas virtualmente não têm massa. Sem massa, elas deveriam estar chispando pelo Universo à velocidade da luz, e não estaríamos aqui para discutir o bóson de Higgs.
Como isso não acontece, e o Universo acabou assumindo a forma que conhecemos, com planetas, estrelas e galáxias, e até gente, algo mais deve ter sido produzido junto com as outras partículas - algo que seria responsável pelo fato de que elas têm massa.

Campo de Higgs
Esse "algo mais" é resolvido pelo Modelo Padrão da Física com a hipótese de que, quando o universo esfriou, uma força invisível, conhecida como campo de Higgs, teria se formado juntamente com o bóson de Higgs.
Esse campo é que daria massa às partículas fundamentais que formam os átomos, atraindo-as para si. A massa dá resistência ao movimento das partículas, fazendo-as moverem-se mais lentamente.
Se o bóson de Higgs não for encontrado, os cientistas terão que começar a levar a sério outras hipóteses, que já estão sendo aventadas, mas que continuam à sombra do extremamente bem-sucedido Modelo Padrão.
Se ele for realmente encontrado, em torno dos 125 GeV, então os físicos começarão a planejar um novo acelerador de partículas, específico para essa faixa de energia, para poder estudá-lo melhor.

14 de dez de 2011

WORLD INVASION / BATTLE LOS ANGELES

Quem diria: a Nasa, americanos e grandes potências vacilaram!!!
A humanidade segue sua vida cotidiana sem dar muita importância para a notícia de asteróides em rota de colisão com o planeta. Estimativas dizem que cairão em oceanos e por isso forças armadas se preparam para uma atividade mais calma doque combate. 
Imagens captadas pelo telescópio Hubble anunciam meio tarde demais que os objetos possuem núcleo de origem mecânica. Dentro de cada suposto asteróide há algo desconhecido.
O problema se torna real quando é descoberto que todos os asteróides cruzaram as capas isolantes do planeta sem perder a integridade, e cairam nos oceanos reduzindo velocidade para impacto.
Cena maravilhosa!!!
Fica muito rapidamente claro se tratar de alienígenas em plena atuação de reconhecimento e futura conquista. E que necessitam do elemento água para funcionalidades e energia em geral. Tanto é que no meio do filme um pentelho cheio de intelectualidades(como sempre)observa que o nível dos oceanos já havia decrescido muito com a chegada dos brothers!
Battle: Los Angeles é um filme que vale a pena para avaliar um pouco sobre como pensamos os irmãos celestes. São invasores? Estão em busca de novas condições de vida pois acabaram com seu planeta natal? Somos parecidos e agiremos assim um dia?
Boas perguntas mas o fato é que eles saem de suas cápsulas prontos para a briga.
Seu poder de fogo não parece ser tão mais avançado que o nosso, mas contam com um maior entendimento científico e se no começo surge apenas uma infantaria, no meio do combate uma poderosa aeronáutica vem pra fuder e confundir.
Óbvio que venceremos através da união, respeito, amor, solidariedade e todas as bobagens que americanos adoram...
Falemos um pouco sobre estes seres!
Sua configuração surpreende!!!
Possuem armadura como qualquer soldado humano. Nós podemos retirá-la,mas estes seres não. Toda a engenharia metálica que os protege está vinculada com ossos e músculos.Incluindo sua arma de fogo, plenamente conectada a seu braço!
Possuem sim um núcleo plasmático e energético, a exemplo do coração,mas são uma fusão de vida e robótica...são soldados sem muita inteligência e sensibilidade.
São seres de castas inferiores e específicas, não devemos acreditar que seus líderes sejam parecidos.
Vieram para explorar e sua derrota não significou muita coisa.
Os líderes certamente aprenderam muito sobre como somos e uma continuação parece certa e benvinda!



10 de dez de 2011

ENSAIO "PASTORAL"


Bacana estar na Terra neste momento. Não tenho dúvidas que todos nós assim escolhemos estar. Uma grande fauna de seres, uma multidão em busca de proteção, alimentação, amor, fé,evolução e tantas outras. Religiosos, espiritualistas, científicos...
Porquê alguns se dizem ateus mas na hora do aperto estão pedindo por um auxílio que não compreendem? Hipocrisia tamanha vc se tornar refém de um problema que desloca sua rotina e por sua cabeça passar pensamentos sobre um milagre divino. Não é verdade? Quem diz que não acredita em Deus na verdade  entende a vida como solitária, não procura refletir sobre nossa própria existência! E Deus nunca será a palavra correta para penetrarmos no mistério que nos vela..
Religiões fazem algum bem?
É importante lembrar que não deve haver mistura entre religião e fé!
Toda construção e organização que o ser humano faz através da fé,torna-se algo problemático.
Toda a história do Egito e na verdade de toda humanidade seria outra, caso não houvessem as religiões. Muçulmanos e católicos impedem que toda a verdade sob as pirâmides venha à tona! Absurdo continuarmos a viver de acordo com a religião e sua agenda.
E não temam Jesus e nenhum líder religioso. Nenhum deles desejou uma organização social e política de seus pensamentos.
Porém a fé move montanhas...ela é o motor do questionamento.
Físicos quânticos dizem que se existe Deus,então ele só pode surgir através de tanta incoerência e dúvidas sobre como podemos ser um ser!
Mas religião é fonte de poder e ganância. Nunca deixo de assistir pequenos trechos na TV de programas evangélicos. Acho o máximo a tentativa de todos eles de protestar o cristianismo e buscar alternativas. Longe de ser  o ideal mas trata-se de uma vontade. Existe um respeito maior  embora os críticos digam se tratar apenas de dinheiro. A exemplo de Reich, que ordenava harmonia corporal através do toque, evangélicos buscam o milagre e a autoridade que cada ser humano é!
Todos somos uma fração do mistério maior...
No Brasil cresce o número de pessoas que se dizem espíritas. Espiritismo trata do mundo astral e exclusivamente. Nunca será maior doque isto!
Lembremos Carlos Castaneda e saibamos que corpo físico e astral estão agora vivendo. Seus desejos e pensamentos só existem porquê existe um corpo para processá-los. Mas corpo astral só ganha desenvoltura após a morte. Espíritas  são corajosos e gentis: se oferecem para retransmitir o prana através das mãos. Porém nunca será correto o tipo de conexão que fazem entre físico e astral. Deixar uma outra entidade divina e astral invadir sua vida para se comunicar é agressivo e arrojado. Significa que vc aceita repartir seu corpo e confundir a sua mente com a de outro ser...totalmente perigoso e nunca algum mestre mais adiantado recomendaria algo assim.
Mas temos sim avanços na consciência mundial. De maneiras diferentes estamos evoluindo e nos preparando para algo sublime e que está se manifestando. 2028 é a verdadeira data fornecida pelo comando estelar. Nada acontecerá através do medo, nenhum evento de grandes proporções nos pegará de surpresa! Estamos acompanhando os problemas financeiros na Europa e uma grande ruptura está em andamento. A juventude evoluiu.
Estamos caminhando de um jeito objetivo,lento e sólido, e por consequência todas as novas e boas energias geradas impedem e transmutam as velhas.
É um começo bacana...
         



8 de dez de 2011

IRON MAN 2



Através deste filme, química e física se misturam para a criação de um novo elemento na tabela periódica. Assunto que envolve número atômico, massa, valência, matéria e substância.
Em outro ensaio acabei por soltar uma frase meio inconsciente mas reveladora de meus atuais e doidos pensamentos:
"Não há substância. Não há nada no átomo que justifique uma agregação de elementos que formem a matéria."Oque há no átomo??? Com certeza ainda não sabemos com propriedade.
A cada dia a ciência complica mais as coisas e dezenas de subpartículas invadem nosso cotidiano. Luta-se desesperadamente para descobrir a "partícula de deus", o Bóson de Higgs, que traria melhor entendimento dos termos: matéria, substância e massa...faltam explicações sobre como podemos ser uma realidade física e este é o impasse da ciência!
E eu to querendo descomplicar a minha vida. Começo a acreditar seriamente que toda e qualquer partícula, do elétron aos quarks,são apenas fótons vibrando de uma maneira particular, em diversas velocidades. A famosa "corda" da teoria das supercordas seria apenas isto.
O fóton vibrando em uníssono e constantemente pode se tornar uma partícula como o elétron. O fóton livre pode ser ondulação e transmissão. Uma molécula de fótons na velocidade da luz pode ser prana ou pura luz multidimensional. Abaixo da velocidade da luz pode ser vc!
Se só existem fótons então só existem manifestações da luz. Tanto neste plano de percepção chamado de terceira dimensão como em qualquer outro. O fóton é primo-irmão da verdadeira concepção de luz e vida.
Não zombem...muitos acadêmicos andam refletindo sobre isto e com maior profundidade.
Mas este blog é democrático e não sou o dono da verdade,sou um estudante,e por isso vamos a Tony Stark e o legado de seu pai.


Mesmo limitado pela tecnologia de sua época, Howard deixa para seu pequeno filho um mistério: uma maquete da cidade do futuro!
Já adulto,o inquieto Tony irá transformá-la em imagem virtual, uma holografia espacial.
O paládio, elemento que sustenta o reator em seu coração, está contaminando seu corpo e sangue. Tony tentou passar as fronteiras da tabela periódica e hibridizar um novo elemento capaz de curá-lo. Igual ao que vem fazendo a ciência moderna: criar um novo elemento super-pesado:o número 119 e o 120.

A holografia da maquete se mostra: está nela a concepção de um elemento novo...que não é fruto de tentativas de utilização dos antigos!
Algo inédito, que seu pai concebeu mas não pôde trazer à realidade...
O elemento passa a existir como realidade virtual e caberá a Tony, com toda genialidade herdada do pai(e grana também)sintetizar as informações eletrônicas, neutrônicas e protônicas visualizadas e contabilizadas através de seu super computador pessoal: JARVIS.

Por toda sua simpatia, acabamos por perdoar Tony neste aspecto: seria impossível criar um acelerador de partículas no porão de sua casa e conceber este elemento por lá mesmo! E sem ajuda.
A física moderna vêm colidindo os elementos atômicos já há algum tempo(em máquinas muito extensas) e o máximo que consegue é formar novos núcleos que duram alguns milionésimos de segundo...estes decaem. Mas enfim,Tony é salvo pela ideia e criação de seu pai!