5 de out de 2012

BOHR & HEISENBERG

"A característica mais importante da visão oriental do mundo - poder-se-ia mesmo dizer, a essência dessa visão - é a consciência da unidade e da inter-relação de todas as coisas e eventos, a experiência de todos os fenômenos do mundo como manifestações de uma unidade básica. Todas as coisas são encaradas como partes interdependentes e inseparáveis do todo cósmico; em outras palavras, como manifestações diversas da mesma realidade última."


Se tem dois caras que merecem fama e atenção, igual a que Einstein possue, eles são Niels Bohr e Werner Heisenberg!
Suas experiências, teorias e reflexões formam um complexa teia de pensamentos que nos trazem a esperança de um dia ocorrer a fusão entre Ciência e Espiritualidade. Estas duas não são coisas distintas, são uma unidade em andamento...
Do Princípio da Incerteza à Interpretação de Copenhague, estes cientistas revelaram o quão pouco ainda sabemos sobre nós e o universo, e todo o paradoxo que envolve o macrocosmos e o microcosmos.
E nestas poucas palavras imprecisas que desenvolvo, fica aqui o testemunho do que eles averiguaram no começo do século XX:
Somos feitos de ossos, músculos, sangue e muito mais...porém tudo isto feito de átomos, que unidos se transformam em moléculas e grandes compostos. Somos infinitos átomos, operando em perfeito equilíbrio e respeitando toda a mecânica clássica de Isaac Newton - de suas 3 leis,da óptica,gravidade,etc...- tudo o que fazemos pode ser explicado pela mecânica clássica!
Agora penetremos neste mundo de partículas que nos compõe.
Bohr e Heisenberg observaram que ao isolar uma subpartícula atômica, a exemplo de um elétron, toda a física clássica é derrubada e todos os cálculos matemáticos e precisões se encerram.
É como se nossos "blocos construtivos' se tornassem abstrações, fantasmas arredios! E não concluam que isto se deve a erros humanos ou procedimentos imaturos. Não!!!
Para se observar uma partícula subatômica é necessário que se prepare um ambiente, tipo um acelerador de partículas, e um lugar aonde irá ser medido nosso ilustre personagem. Quando o digníssimo chega no lugar aonde deve estar(pela mecânica clássica), ele não é encontrado!? Existe uma probabilidade dele estar lá, mas ele pode estar em trilhões de outros pontos.
Mas ok, digamos que seja possível estabelecer o ponto aonde iremos encontrar a subpartícula. Sendo assim não conseguiremos descobrir sua velocidade e massa. Se a situação se inverter, não descobriremos sua posição?!
Estranho, doido???
Pode até ser, pode ser que eu esteja louco de perder meu tempo filosofando sobre isto, mas a ciência me anima a ser mais espiritualista.
Está claro que falta muita coisa para pacificarmos nossas mentes e chegarmos num ponto de esclarecimento.Não dá pra isolar uma parte conectante do todo!!! Isto fere a Unidade.
Olha,para mim existem universos paralelos, existem vidas não atômicas e muito mais. Penso que se a ciência apresenta paradoxos tão evidentes, então devo acreditar mais em mim!
...a Teoria das Cordas é outro pensamento científico e filosófico relevante mas fica pra próxima...


"No nível atômico, então, os objetos materiais sólidos da Física clássica dissolvem-se em padrões de probabilidades, e esses padrões não representam probabilidades de coisas mas,sim,probabilidades de interconexões. A teoria quântica força-nos a encarar o universo não sob a forma de uma coleção de objetos físicos mas, em vez disso, sob a forma de uma complexa teia de relações entre as diferentes partes de um todo unificado."


ensaio e texto baseado no livro de Fritjof Capra / O TAO DA FÍSICA

6 comentários:

  1. Nossa!!!!
    Que texto complexo e profundo....
    Eh muito louco pensar em tudo isso!!!
    Só sei que devemos viver na chama rosa , com muito amor .
    Senão , nada dessa vida terá sentido.
    Feliz aquele que encontra seu verdadeiro amor e juntos transbordam esse raio.
    Isso sim eh uma bonita explosão !!!!!
    Parabéns querido ....
    Bjssss

    Mirene

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rs...eu sabia que vc iria mencionar a chama rosa!
      ok linda,mas cada um possue uma personalidade distinta e um de nossos deveres na vida é aprender com os outros e equilibrar as chamas!
      obrigado por seu eterno carinho!

      Excluir
  2. Penso que cada vez mais a ciência esta perto do Divino,estão procurando com o acelerador de partículas o que chamam " a partícula de Deus" penso que a partir daí estarão mais perto dessa unicidade e de explicarem o o Universo(macrocosmos)e o seu relacionamento com o microcosmos (o homem)
    beijos

    ResponderExcluir

  3. Olá!Boa noite!
    Ricardo...tema complexo...... se a lei de Hegel "as coisas que se opõem e competem entre si chegarão a se assemelhar umas às outras" estiver correta, ciência e espiritualidade chegarão a se assemelhar uma à outra, misturando-se entre si e fundindo-se em um "algo" maior e melhor.Do binômio á unidade. Sempre acreditei que não há diferença entre ciência e espiritualidade, já que sempre que estudamos Ciências, estamos aprendendo a forma como Deus faz/fez o seu trabalho no mundo.Há uma tensão subjacente que transcende fronteiras e países, onde sentimos que algo está mudando em nós próprios e na nossa relação com o mundo de forma completamente diferente daquela que temos tido no passado...e a busca da unidade, seguramente é a única forma de explorar o desconhecido e alcançar verdades ainda mais abrangentes que venham auxiliar o homem na compreensão de si mesmo e da realidade ...
    Obrigado!
    Bom final de semana!
    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Ricardo, eu não conhecia Niels Bohr e Werner Heisenberg, mas fiquei a saber o suficiente para despertar a minha curiosidade de saber mais, o que irei fazer sem falta! Gostei de ler o seu filosofar sobre este tema. A fiquei muito curiosa por conhecer o seu pensamento sobre a Teoria das Cordas, sobre a qual já li muito.

    ResponderExcluir
  5. An interesting theme, makes me think. Greetings.

    ResponderExcluir