25 de jan de 2014

PROSPERIDADE

A Abundância é um elemento fundamental nos reinos cósmicos. Vocês poderiam dizer que a abundância é abundante. Isto é porque nos reinos mais elevados não há falta. A falta é uma ilusão das dimensões menos elevadas. A abundância está em toda a parte. Assim, por que vocês estão tendo tanta dificuldade em se ligar e trazer à manifestação a abundância que vocês criaram vibracionalmente? É por causa do seu medo e dúvida. Vocês foram treinados a acreditar na falsa afirmação: "Eu acreditarei nela quando vê-la". É quando vocês precisam realmente reverter esta maneira de pensar e dizer: "Eu a verei quando acreditar nela".
Muitos de vocês no caminho da luz foram treinados com outra premissa falsa, e isto é que afins de serem espiritualizados, vocês têm que viver na pobreza. Isto é tão incorreto que não pode ser suficientemente enfatizado. Vocês estão  rejeitando a Fonte quando rejeitam a bondade em que a abundância está envolvida. Ela é uma dádiva e é seu direito inato. Como esperam ajudar as pessoas do mundo com a falta de fundos?
Assim, a fim de entrarem em um estado de mentalidade de abundância, que é o estado de acreditar na abundância que vocês já criaram e que está esperando por vocês, olhem ao redor de seu mundo. Vejam a abundância a sua volta. Olhem para todas as árvores. Observem todos os
alimentos no supermercado. Observem todas as pessoas e como elas são bem alimentadas e têm as coisas que elas querem. Isto é abundância e é prazeroso de se ver. Sintam-se bem com isto. A Abundância não é apenas financeira, mas todas as formas de abundância de fato, compram a felicidade, porque a vida está fluindo mais livremente e vocês são capazes de ajudar mais os outros, o que se manifesta como uma abundância de amor, generosidade e bondade. Há abundância em toda parte. Alegrem-se com a riqueza dos outros e vejam como a sua atitude de agradecimento e amor trazem-na para vocês também.
Pode-se dizer que se nós vivemos em um mundo tão abundante, então por que há tantas pessoas que são pobres? É porque elas estão vendo um mundo de carência. Elas a vêem em todos os lugares, todos os dias, assim elas a criam com os seus poderes de pensamento. É por isto que vocês precisam ser tão cuidadosos em relação ao que pensam, porque se pensarem nela o suficiente, irão manifestá-la em sua realidade.
Visualizem por dez minutos ao dia, enquanto estiverem fazendo as suas meditações ou preces diárias, estas pessoas mais pobres recebendo tudo o que querem. Ao fazerem este ato de bondade e de compaixão, embora vocês não possam afetá-las diretamente por causa do livre arbítrio, vocês podem mudar a vibração delas com uma "lavagem" vibracional, por assim dizer, de modo que elas tenham a idéia de trazer mais positividade e bençãos em suas vidas. Esta é uma grande dádiva que vocês podem fazer, e não é uma abordagem curativa para a pobreza, mas um verdadeiro estímulo.

Amo todos vocês, mais do que as palavras,

Kat´Mandu

Fonte: http://lightworkersworld.com
Tradução: Regina Drumond - reginamadrumond@yahoo.com.br
Solange Christtine Ventura
http://www.curaeascensao.com.br/
Grato também a amiga blogueira: http://dharmadhannyael.blogspot.com.br/


DECRETO:
" O DINHEIRO É UM SÍMBOLO DA ABUNDÂNCIA QUE EU SOU.
EU SOU A PODEROSA PRESENÇA DE DEUS EM PROFUNDA GRATIDÃO POR TODA A OPULÊNCIA QUE SE MANIFESTA EM MINHAS MÃOS"


5 de jan de 2014

THE DYATLOV PASS INCIDENT

Eu tinha a intenção de escrever uma crítica sobre este filme mas achei tão boa esta que segue que resolvi repostá-la deixando os devidos créditos e agradecimento ao site. O filme em questão se utilizou de um dos momentos mais misteriosos da humanidade no século XX. Uma das conclusões da investigação do caso nos foi reportada assim: " a causa da morte foi por conta de uma força elementar que os turistas não puderam superar". Conclusões recentes só apontam para um caminho coerente: ali houve algum contato alienígena. Mas o filme propõe o Experimento Filadélfia e Wormholes oque me pareceu original mas estranho...bom sei lá, assistam!


FICHA TÉCNICA

Título Original: The Dyatlov Pass Incident
Ano do lançamento: 2013
Produção: Estados Unidos
Gênero: Thriller
Direção: RennyHarlin
Roteiro: Vikram Weet

Sinopse: Cinco estudantes norte-americanos viajam para Passagem de Dyatlov em busca de respostas sobre os eventos ocorridos na década de 1950, quando nove esquiadores russos morreram inexplicavelmente. Gravando um documentário, eles percorrem a trilha amaldiçoada dos Montes Urais e logo começam a desconfiar que não estão sozinhos no local.
Por Jason

Antes de falarmos desse filme do diretor de Duro de Matar 2, precisamos entender o mistério no qual ele se baseia. Em 1959, um grupo de nove pessoas, experientes montanhistas e escaladores, desapareceu nos Montes Urais, na então União Soviética. A descoberta dos corpos mais tarde, que deveria explicar o que houve com o grupo, só complicou ainda mais a situação ao invés de ajudar a esclarecer o mistério. Tudo porque eles foram encontrados carbonizados, com um elevado nível de radiação, coloração alaranjada e desnudos, mesmo debaixo de um frio congelante. Havia também sinais de envelhecimento precoce – o cabelo de uns estavam brancos e chamou atenção o fato de que um dos montanhistas teve a língua arrancada.

Os investigadores concluíram que os montanhistas rasgaram suas barracas de dentro para fora no meio da noite, assustados com algo, e saíram correndo debaixo de uma nevasca – não se sabe, contudo, do que. Os corpos ficaram preservados por causa da temperatura e não demonstravam sinais de luta, mas as vítimas tinham crânios fraturados e costelas partidas. A hipótese de avalanche foi descartada não só pela disposição dos corpos, como também pelo fato de terem encontrados vestígios de que as vítimas fugiram de algo desconhecido usando roupas deixadas por quem já tinha morrido. As barracas, excetuando os rasgos feito por eles, também estavam intactas mesmo dois meses depois de buscas.
O caso não teve uma conclusão, uma vez que pessoas relataram que na época havia nos céus luzes alaranjadas, de origens desconhecidas, que poderiam ter ou não a ver com o sumiço dos nove esquiadores. Para alimentar ainda mais o mistério, segundo uma antiga lenda mansi, a Montanha dos Mortos, onde os nove corpos mutilados foram encontrados, foi assim chamada devido a um acidente semelhante em que nove homens mansis também foram encontrados mortos enquanto tentavam se salvar de uma inundação da antiguidade.
Partindo desse pressuposto, que renderia um filmaço de mistério e discussões calorosas a respeito do que aconteceu com o grupo, o filme vai na contramão e traz o estilo já cansado de Atividade Paranormal, emulado em tantos outros filmes que já deu o que tinha para dar. Logo no começo, já sabemos o destino dos personagens – os jornais dão a noticia do desaparecimento do grupo. O espectador conhece o grupo de cinco pessoas, americanas, que vão refazer a escalada até os montes. Todos os personagens são desinteressantes. No meio do caminho, eles fazem apresentações para a câmera, didáticas, explicando o que houve com as pessoas em 1959, onde foram achadas mortas e as teorias a respeito sobre o caso. Encontram uma pessoa que presenciou todo o acontecimento, dando uma versão para os fatos, e conversam com ela
antes de partirem.
Na montanha, uma avalanche leva logo uma das personagens. O grupo é forçado a abandonar um deles, ferido, que é morto por dois militares. Na fuga, os três restantes descobrem um bunker militar, com uma rede de tuneis. De repente, sai o filme de suspense e entra o filme trash. Os sobreviventes são atacados por criaturas deformadas – no melhor estilo Chernobyl – e descobrem uma trama envolvendo até mesmo O experimento Filadélfia, viagem no tempo e um portal, para desespero de qualquer espectador que esperava alguma coerência em toda essa confusão. Os efeitos especiais são pobres, as atuações precárias e a direção não tem nenhuma nota autoral, embora escape em uma ou outra cena eficiente em criar suspense. O final capenga só piora tudo. Com roteiro horrível, atuações ruins e estilo cansativo, o filme desperdiça um dos maiores mistérios da humanidade com um terror tosco de doer.

Por Kadu Silva em 12.09.2013

AGRADECIMENTO AO SITE E FONTE DO CONTEÚDO: http://www.ccine10.com.br/

COISAS DA LUA


A Lua é um corpo celeste tão estranho e com tantas anomalias que daria um post gigantesco falar sobre tudo! O que mais me atrai entre tantos temas é uma espécie de consenso teórico, até meio paradoxal, entre gente séria de nossa digníssima ciência e ufólogos/espiritualistas: muitos teorizam e filosofam que a Lua possa ser uma espécie de "planeta-embarcação", um satélite artificial e formação inteligente desenhada por visitantes de outros mundos. A turma espiritualista apresenta motivos mais surpreendentes porém a ciência é forçada a especular tal situação por outras razões mais evidentes. Aqui algumas: 

. As idades da Lua e Terra não são precisas e algumas rochas lunares apresentam idade de 4,5 bilhões de anos. A medição mais antiga de um mineral de origem terrestre é de 4,4 bilhões de anos e a da meteoritos (que é a que vale pra gente) é de 4,5 bilhões de anos. Estima-se assim que a Lua possa ter sido criada antes da Terra. Ao mesmo tempo eles não foram mesmo afinal é brutal a diferença de composição geológica entre os dois corpos.

. Todos os estudos apontam para que exista uma grande diferença entre a superfície lunar e seu interior. Já fica claro ao observar que os metais e rochas mais pesados estão na superfície, contrariando a geologia terrestre. Porém algo muito mas muito estranho veio a reforçar a teoria de que o interior da Lua possa ser oco ou talvez imensamente cavernoso: as missões Apolo 12 e 13, em ações de descarte de módulos e partes de equipamentos pesados, fizeram acontecer poderosos choques de material com a superfície lunar. O que a Nasa detectou é assustador: os tais "terremotos artificiais" fizeram com que a Lua soasse como um sino por longos períodos. Equipamentos sísmicos mostraram que ondas de vibração e reverberação se espalharam pelo satélite em todos os eixos com duração de até 3 horas! Então quando um meteoro atingiu a Lua nos anos 70, a Nasa já estava preparada para novas medições. Mas o resultado do impacto mais confundiu do que explicou: as ondas foram tão violentas que deveriam chegar no núcleo lunar e retornar à superfície, coisa que não aconteceu.

É aceito teoricamente que a Lua é resultado do choque da Terra com Theia, um corpo celeste que já se foi. Mas se for ao menos pensada a questão de um corpo produzido artificialmente, então temos a solução de várias questões, que além destas apresentadas inclui uma justificativa sincera para a possibilidade de água somente em seu interior e dos frequentes terremotos que poderiam ser contrastes entre força da gravidade e maquinário do interior oco.
Convenhamos gente, a superfície lunar parece o casco de uma aeronave: lá existem titânio, cromo, zircônio, urânio, neptúnio e até ferro que não enfurruja....vai tentar meter uma broca nas rochas lunares...