27 de jun de 2014

ENSAIO: O QUE PENSO SOBRE O PROJETO HAARP

Para abordar o tema é necessário retornar ao começo do século XX e localizar o genial cientista Nikola Tesla, merecedor de postagens exclusivas tamanha é sua influência no mundo moderno.
Atenho-me a uma de suas visionárias idéias e inspirações: observando tempestades com raios, Tesla constatou algo que quase ninguém repara: ali existe transmissão de eletricidade pelo ar, sem fios. Simples e verdadeiro! 
Juntando o profundo conhecimento eletromagnético e seu espírito altruísta, o cientista logo percebeu a possibilidade de um fornecimento ilimitado (e meio que gratuito) de eletricidade para os povos do planeta. E para isso contava com a ionosfera, uma alta região da atmosfera, rica em íons, que como vimos na postagem anterior, são excelentes átomos para a condução de elétrons.
Qual era a ideia? Tesla, através de suas bobinas, pretendia lançar poderosas correntes elétricas para a ionosfera, em pulsos de 8 segundos (o tempo que um elétron demora para rodar o planeta) e assim gerar uma corrente contínua de eletricidade ao redor do planeta, que posteriormente seria captada por instrumentos de recepção pelo mundo afora e redistribuída para os lares, fábricas, etc...bela intenção! Thomas Edison que na época já tinha travado uma guerra particular com Tesla, o achava insano e perguntava-se: como pode alguém pensar em energia livre? Aonde ficam o lucros?
Mas o cientista nascido na atual Croácia não foi bem sucedido neste teorema, porém inúmeras de suas patentes estão em eterna revisão pelos cientistas modernos.
Nikola Tesla é o mentor e patrono do Projeto Haarp, que entrou em funcionamento em 1993 no Alasca. As instalações do projeto, possuem inúmeras antenas de alta frequência que enviam ondas para a ionosfera, aquecendo-a. Depois são analisados os resultados desta interação. Pretende-se assim e oficialmente estudar a fundo a transmissão de ondas eletromagnéticas pela ionosfera.
Se com estes estudos os cientistas descobrirem padrões de comportamento físico-elétrico mais confiáveis do que os que já possuem, muitas novas tecnologias estarão disponíveis nas áreas de comunicação, navegação, transformação de energia e quem sabe até a realização do sonho de Tesla. Vale lembrar que muitas bandas de ondas de rádio operam normalmente pela ionosfera e por um efeito refletor. Quanto mais soubermos sobre o assunto melhor. Gostaria eu de estar envolvido nisso...
Sou fã e acredito em um monte de "teorias da conspiração". O Projeto Haarp é massivamente bombardeado pelos "teóricos", que alegam a possibilidade de uso desta tecnologia em guerras geofísicas, controle do clima, produção de terremotos e maremotos (a exemplo do Haiti), controle mental, enfim... se observarmos nossa história, veremos que de fato grandes descobertas foram usadas para finalidades bélicas e de aniquilação.
Mas não sei, neste caso em especial, sinto vontade científica desacoplada de interesses perversos de dominação. Óbvio que está em jogo grandes interesses financeiros sobre novas patentes e produtos. Mas tenta-se antes de mais nada, entender melhor nosso planeta e suas possibilidades. Business my friends!
E posso sim estar enganado e ser um ingênuo com este discurso...

20 de jun de 2014

CARTAS PARA YASMIN E JUJU: MONOGRAFIA E ELETROMAGNETISMO

Filha, às vezes fico pensando que te meti numa roubada com a monografia rs. Fui eu que tive a ideia e no fundo ainda não sei se realmente você tem interesse, mas agora é tarde né...
Vamos refrescar a memória sobre nossas intenções: queremos produzir energia elétrica através de imãs e de uma forma que não dependa de forças naturais como o vento ou água por
exemplo...só eletromagnetismo. Para isso queremos também produzir uma máquina que possa auto sustentar-se, gerando energia infinita, limpa e custo ZERO.
Wow, qualquer um que entende do assunto vai falar: porra vocês querem descobrir a galinha dos ovos de ouro. Pelo menos e como tese SIM. E esta é nossa proposta mesmo que não dê certo.
Mas sinto-me na obrigação de dar um empurrãozinho nesta pesquisa e te lembrar de conceitos básicos sobre o tema que envolve química e física. Não sou perito mas tenho facilidade em explicar e então vamos lá! Te amo linda.

Independente do real significado de "carga elétrica", sabemos que dentro de um átomo temos duas versões que completam uma dualidade: a carga negativa dos elétrons e a carga positiva dos prótons. E em geral os átomos são eletricamente neutros porque o número de prótons no núcleo é igual aos número de elétrons na eletrosfera, significando carga 0. Mas por causa da carga elétrica isolada destas partículas, existe em torno dos elétrons e dos prótons um campo de força, uma espécie de "aura" que chamamos de campo elétrico.
Mas se o átomo é eletricamente neutro, como gerar eletricidade?
Para isso alguém tem que sair de um átomo e ir para outro e com certeza não serão os prótons que estão no núcleo, pois a Força Forte que os prendem por lá é gigantesca.
Sobraram então os elétrons que fazem jus ao nome eletricidade.
Querida, existe uma tendência e comportamento muito interessante dos átomos: eles gostam de ter a última camada, aquela que chamamos de camada de valência, completinha com todos os elétrons que ela pode suportar. Mas não é o caso de muitos elementos químicos. Vamos então analisar o elemento Cobre, que será muito utilizado em nossa pesquisa.

















Podemos ver que a distribuição dos 29 elétrons do átomo de Cobre, ocorre de uma maneira que um deles encontra-se solitário na camada de valência e pela distância que ele está do núcleo gravitacional, fica fácil ser lançado para fora. O átomo meio que deseja doá-lo.
Entendemos assim porque o Cobre é chamado de condutor elétrico: ele é bom no transporte de elétrons.
Analisando este gráfico podemos perguntar: mas o que faz o tal e primeiro elétron "saltar" para o átomo seguinte? E ai entramos no magnetismo e nos imãs.
De uma maneira muito simplificada:
. Se um elétron está apenas orbitando o núcleo do átomo, temos somente um campo elétrico em ação.
. Se um elétron está em movimento para outro átomo, ai temos um campo elétrico e magnético em ação e como quase tudo o que acontece na natureza é movimento, temos sempre algum campo eletromagnético.
O magnetismo é o relacionamento entre os campos elétricos ou, esotericamente, entre as "auras" destas entidades inteligentes chamadas elétrons e prótons...um tipo de relação similar com a vida humana, que para os céticos é somente fruto das interações entre as partículas; um lugar aonde se acredita existir consciência, sensações, pensamentos, memórias, etc...
E neste momento podemos abordar sua monografia. Iremos enrolar um fio de cobre em forma circular e conectá-lo a uma lâmpada. Já sabemos que o elemento Cobre fará o transporte dos elétrons até a lâmpada, mais precisamente, até um filamento dentro dela que irá reduzir a velocidade destes "elétrons saltitantes", produzindo luz e calor, que são outros aspectos do espectro eletromagnético. Falta então algo que dê um empurrão contínuo neste movimento eletrônico.
Existe na natureza um mineral chamado Magnetita, um óxido de ferro que descobriu-se possuir um forte campo magnético muito embora os átomos que o compõe, estejam meio que "parados", o que nos levaria a pensar então que somente o campo elétrico devesse existir. Este mineral é chamado de Imã. Como mostram as ilustrações, existem duas fortes áreas de influência neste campo: o pólo norte e pólo sul. E o campo se movimenta do norte para o sul, fechando um circuito.
Será este Imã e seu campo magnético, que ao aproximar-se do fio de Cobre, irá impulsionar o primeiro elétron, aquele solitário, a saltar para o próximo átomo, gerando o movimento elétrico. O problema é que a corrente não continua se o Imã ficar parado. Tudo acontece somente uma vez, a lâmpada irá acender mas se apagará imediatamente.
E então precisaremos gerar movimento contínuo para este Imã produzir eletricidade. Este é nosso desafio boneca!!!


3 de jun de 2014

ENSAIO: DELÍRIOS ETÉRICOS

Muitos concordam, ou através da experimentação ou da teoria, que o ser humano assim que morre para o corpo físico, começa a habitar conscientemente novas "roupagens" mais sutis e aqui mesmo na Terra, entrelaçando-se com os que ainda vivem na fisicalidade. Ocorre que poucos refletem sobre este tema em seu principal aspecto e consequência: se então você não é o corpo que habita, quem é você??? E como é que este "quem é você" se relaciona e se reveste com estes novos corpos? Perguntas pertinentes e metafísicas mas que deixo no ar e que servem apenas para um prólogo deste post.
Qualquer escola oculta atribui ao Homem quatro corpos de vivência (simultâneos) na experiência concreta e terrestre: os corpos mental, astral, etérico e físico. E destes apenas dois são extremamente organizados e verdadeiros milagres da engenharia divina: o etérico e o físico. Os outros dois são como nuvens desorganizadas, para a maioria. Mas aqui também vale uma pergunta que necessita de questionadores: do que são feitos estes corpos extrafísicos?
Ora, se você está no planeta Terra enquanto se utiliza desses corpos, então é natural que eles sejam constituídos por substâncias similares aos elementos químicos e que sejam regidos, de uma forma diferente, pelas quatro forças fundamentais: o eletromagnetismo, a gravidade, a força forte e a fraca. Não pode ser tão diferente, não pode haver mistérios!
Preparei um gráfico para abordar um pouco sobre o plano físico:


O corpo físico só existe porque em primeiro lugar formou-se o corpo etérico. Os dois fazem parte do plano físico muito embora toda a região etérica esteja ainda em processo de descoberta pelos físicos quânticos. E os dois são conectados de uma tal forma que não podemos dizer que o corpo etérico seja um veículo autônomo, a exemplo do corpo astral. Quando morremos, nos desfazemos dos dois e penetramos na teia astral.
Pense por exemplo em seu fígado: ao redor e dentro dele está o fígado etérico, formado por substâncias mais aceleradas e sustentadas, em forma molecular, pela ação dos glóbulos de vitalidade. Acredito que a fronteira destas duas regiões, localizada em todas as formas de radiação gama, estabelece uma atividade tão poderosa dos fótons, que chega um momento em que eles precisam se unir para dar conta das altas vibrações das partículas. E por isso muitos chamam este corpo de prânico ou vital.
Uma bela curiosidade: assim que o corpo etérico de um ser humano está formado, todas as informações construtivas juntam-se em uma espécie de "DNA Etérico", um átomo especial que futuramente irá se localizar na cabeça de um espermatozoide único. Se consumada a fertilização, este átomo irá carregar o  formato já existente do corpo etérico e, juntamente com o DNA dos pais, entrarão em ação os elementos químicos para formação do corpo físico...a réplica.
O corpo etérico é quem envia para o físico todas as informações de pensamentos, sentimentos e a própria Vida deste mistério chamado "quem é você". Também é nesta região que existem os seres construtores e elementais, responsáveis pela manipulação das partículas de luz, trazendo para nossos olhos toda a beleza na natureza. Namastê!