18 de set de 2012

SER NOTURNO

com texto poético de:
Anderson Lopes


Meia noite de uma vida inteira sem dormir
A meia luz de uma lua cheia eu reflito
Sobre o que poderiam ter sido os meus dias
Se eu não me esquivasse tanto do sol

Eu não teria essas olheiras de vida mal vivida
Eu teria mais sombra
Para dividir comigo as responsabilidades do corpo...

Meia noite

E as lembranças são seres indesejáveis
Saindo debaixo da cama em que o passado dorme
Para me assombrar

Ah,como é leve o sono do passado

E quanto lixo ele acumula embaixo de sua cama!

Mas os grandes olhos da noite são ternos e consoladores

Imensos olhos vigias de mãe
Que me observam por detrás das cortinas
Olhos que não se fecham enquanto o filho não chega
Enquanto o filho não dorme

Doces e complascentes os olhos da noite!

Confortam-me
Protegem-me
E enfim adormeço...



27 comentários:

  1. Realmente o passado as vezes traz fantasmas para nos confrontar bem na hora da insônia. Um lindo poema e sua gravura eu diria que de todas, essa é a mais linda que já vi. Uma coruja, simbolo da sabedoria.
    Bjks doces

    ResponderExcluir
  2. Una foto muy plástica, a lo mejor podrías desvelar tus secretos y describir como las has realizado.
    Un saludo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. con mucho gusto!
      este es el resultado de una fusión entre dos imágenes:
      mandala ojo y otra imagen que espera de la publicación...
      que son todas las manipulaciones de película fotográfica original que tengo más de 20 años

      Excluir
  3. Yo diria que es un gatito, muy hermoso, el cual no puede dormir entre las tinieblas de la noche...Hermosa la poesía.Saludos.

    ResponderExcluir
  4. Adorei a foto....
    Um olhar penetrante e forte!!!!
    Cores que fazem parte dos meus sonhos....
    Realmente, maravilhoso!!!!
    Bjokassss

    Mirene lisoni

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigado querida por se fazer presente neste espaço e com comentários bacanas...
      love you!

      Excluir
  5. Olá!Boa noite!
    Ricardo!
    Parabéns ao Anderson pela poesia, e a você, lógico, pela imagem perfeita!Sintonia!
    "Aos olhos da noite
    Somos todos iguais
    Sem destino e sem rumo"
    Boa quarta feira!
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Amigo muito lindo o poema. E até parece que tem uma bola de cristal, pois sinto como que se tivessem olhos sobre mim todo o tempo, só que não em mim no blog, sabe?? Pessoas ruins que saem das sombras para encher o saco da gente, tentar amedrontar-nos, tentar atingir-nos de todas as maneiras.
    Olha Ricardo, faz tempo que não blogo, que não visito e pensei até em parar de blogar, entretanto quando fui fazer o post de despedida tive um estalo de lucidez e decidi que não vou calar. Vou continuar xingando, falando meus palavrões, enchendo o saco dos bossais de plantão e quem quiser que corte os pulsos com gillette ou rasgue as pregas... Eu não vou parar!!! Estou catando juntando meus cacos, daqui a pouco passo meu merthiolate e volto pra blogosfera outra vez. Tô cheia de saudade. Logo, logo estarei fuçando teus post inteligentíssimos e adquirindo conhecimento.
    Um xero enorme, cheio de saudade de ti.

    ResponderExcluir
  7. Ricardo , não sabe como foi bom ter conhecido seu blog .
    É muita beleza e sensibilidade juntas .
    " Mas os grandes olhos da noite são ternos e consoladores .
    Imensos olhos vigias de mãe. Que me observam por detrás das cortinas . Olhos que não se fecham enquanto o filho não chega .Enquanto o filho não dorme ."
    Perfeito !
    Parabéns aos dois artistas .
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Cara, valeu a parceria! As tuas imagens fazem brotar as palavras!
    Ótima experiência.
    Abraço

    ResponderExcluir
  9. Me encanta ! El efecto lo haces an photoshop o usas algo especial al momento de tomar la photo original ?

    ResponderExcluir
  10. Ricardo, mas que imagem espectacular e que poema tão sentido e mimoso!!!
    Os dois juntos? Uma autêntica obra de arte!
    Beijinhos de Luz!
    Ana Maria

    ResponderExcluir
  11. Poesia pensativa e bela, a vida se aprende andando, somos como eternos alumnos. Alem disso, adoro estes surpresos e gigantes olhos que me miran fijo e penentrantes.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Olá amigo, boa tarde,
    Uma imagem misteriosa, para um texto fantástico,
    Parabéns a ambos,
    um trabalho maravilhoso
    un grande abraço

    ResponderExcluir
  13. Perante a noite escura, sem nenhum ponto de luz, sim somos todos iguais.
    Ameia a figura, que para mim é um ser sábio a "coruja".
    Abraços de luz.
    Lua.

    ResponderExcluir
  14. Querido amigo,

    Depois de um dia tão quente, espero que na meia-noite que se aproxima, eu seja embalada por um sono muito tranquilo e repador..

    BEIJOS doces

    ResponderExcluir
  15. Ricardo, gracias por visitar mi blog.

    Enhorabuena por tus trabajos, son realmente interesantes. Con tu permiso, te sigo.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  16. Um trabalho imponente, admirável, acompanhado por um excelente poema/texto poético. Parabéns aos dois.
    Abraço

    ResponderExcluir
  17. Uma parceria perfeita assim é o máximo! Adorei! Parabéns aos dois!
    Abraços

    ResponderExcluir
  18. Magnifique accompagnement artistique pour ce grand texte.
    Avec mes amitiés venues de France,

    Roger

    ResponderExcluir

  19. Linda poesia, Ricardo, emoldurada magnificamente pelo seu belo trabalho.

    Abraços e cumprimentos aos dois.

    ResponderExcluir
  20. Wonderful composition, I love that haunting look.

    ResponderExcluir
  21. O passado não trás nem leva fantasma. Realmente você tá certo. É a nossa consciência quando pesada, acorda em pesadelos.
    Beijos!!!!

    ResponderExcluir