18 de jun de 2015

CURIOSIDADES SOBRE O "PÉ GRANDE"

Trecho do livro: O Caminho para a Saúde de Seth / Jane Roberts
Gentilmente cedido pela Lu Lima, organizadora de um grupo de estudo, que faço parte, chamado Jardim Secreto.
Mais livros ou informações: http://espacocriando.blogspot.com.br/

Pé Grande e o Abominável Homem das Neves

" Há realmente dois tipos diferentes de mamíferos eretos, muito parecidos com sua espécie, mas muito maior, e com sentidos infinitamente mais apurados. Eles são realmente criaturas incrivelmente rápidas e apenas através do olfato eles ficam cientes da presença do homem quando qualquer membro de sua espécie está nos arredores imediatos - ficando, digamos, pelo menos a várias milhas de distância. A matéria vegetal é a dieta principal deles, embora muitas vezes implementada por insetos, que são considerados como uma iguaria. Eles, em relação a isso, desenvolveram armadilhas muito engenhosas para insetos, de maneira que centenas, ou mais, podem ser capturados, pois muitos são necessários já que insetos são tão pequenos. Estas armadilhas são muitas vezes construídas em árvores, nas cascas, de tal forma que a goma da própria árvore é usada para capturar os insetos. As armadilhas parecem ser parte da própria árvore, de modo a protegê-los.
Estas criaturas realmente têm memória, mas as lembranças deles operam muito rapidamente - um tipo de dedução quase instantânea, que vem como um sentido de informação interpretada. Ou seja, é recebida e interpretada quase de uma vez, ou simultaneamente.
A procriação não ocorre até que os indivíduos estejam bem além da idade que vocês considerariam normal para reprodução. No entanto, o procedimento é o mesmo. Com alguma variação territorial, tais criaturas residem em muitas áreas mundiais em seu planeta, embora a população geral deles seja muito pequena - no todo, algo em torno de, talvez, vários milhares.
Eles raramente se reúnem em grandes grupos, mas têm uma família e uma organização como que tribal, com no máximo doze adultos em qualquer área determinada. Quando filhos são adicionados, os grupos se quebram novamente, pois eles sabem bem que em grandes números eles seriam muito fáceis de serem descobertos.
Todos eles usam ferramentas de um tipo ou outro, e vivem de fato em concordância com os animais. Não há competição entre eles e os animais, por exemplo, e basicamente não são agressivos, embora possam ser extremamente perigosos se forem encurralados, ou se seus mais jovens forem atacados. Eles crescem bastante lentamente no inverno, em climas muito frios, e a temperatura deles cai, como é característico de animais que hibernam, exceto que a temperatura deles é mais sensível às variações diárias, então em alguns dias de inverno eles podem procurar muio bem por comida, embora, por outro lado, possam hibernar até mesmo por semanas a fio.
Eles tem uma profunda compreensão da natureza e dos fenômenos naturais. A linguagem não é desenvolvida a qualquer grau, pois o equipamento sensório deles é tão puro e rápido que quase torna-se uma linguagem própria, e não precisa de qualquer elaboração.
Estes sentidos possuem as próprias variações, de maneira que sem nenhuma palavra como "agora" ou "daí", as criaturas são capazes de saber bastante acuradamente quantas criaturas vivas estão nas vizinhanças, quanto tempo estivera ali - e a experiência deles com o tempo é uma que segue as estações de tal modo que eles formaram uma imagem sem palavras, uma figura fielmente acurada do mundo, incluindo uma direção navegacional. "


4 comentários:

  1. Só pelo facto de não haver competição, nem agressividade, entre eles... e de evitarem ser encontrados... só posso afirmar, que deverão ser criaturas bem mais sábias e equilibradas do que todos nós, certamente...
    Adorei o seu post, Ricardo! E acredito plenamente na sua existência...
    Passando por aqui, para o cumprimentar... e matar saudades daqui... estive ausente umas semanas, devido a uma avaria no meu computador... e por isso, voltando, aos pouquinhos, aos blogs...
    Abraço! Esperando que esteja tudo bem, aí desse lado... e seus novos projectos decorrendo da melhor forma...
    Tudo de bom!
    Ana

    ResponderExcluir
  2. No news... is good news...
    Certamente os seus projectos, estarão a decorrer da melhor forma, Ricardo!...
    Tudo de bom!...
    Ana

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, Ricardo, estou um pouco ausente do seu espaço, porque não consigo visitar a todos que quero.Achei extremamente interessante a sua postagem, eu confesso que não sabia. Foi uma excelente aula . Aproveito para pedir o seu voto em um poema meu que está no espaço da Lindalva. O poema é o de número 12. Título : Adeus...... Endereço:
    http://ostra-da- poesia.blogspot.com.br
    Se gostar do poema é claro, fico-lhe grata. Grande beijo!

    ResponderExcluir
  4. Bacana saber o que existe por trás da história do "abominável homem das neves".
    E você, amigo Ricardo, está precisando aparecer mais vezes por aqui!

    Abraço

    ResponderExcluir