28 de fev de 2018

RÁPIDA SOBRE O MERCADO FINANCEIRO


O mercado financeiro é o "game" mais complexo e sofisticado que o ser humano inventou. Sim, trata-se de um jogo da mesma maneira que as guerras também são. Em guerras existe essa disposição para enfrentamentos, conquista de posições geográficas, sociais e econômicas e mais dolorosamente, a morte de um semelhante. Nada muito diferente do outro, e penso que afinal pouca evolução ocorreu aos Hominídeos planetários...

Poderia existir algo mais insano do que comprar ou vender algo que ninguém realmente tem, ou derivar mais profundamente e criar opções aonde você pode obter mecanismos de proteção em caso de prejuízo sobre esse algo que você não tem?! Esse não é um ensaio que busca explicar o mercado, mas sim entender sua importância. Estamos diante do ápice de um sistema dito capitalista e democrata e acredito que somente a quebra generalizada do mercado financeiro pode abrir caminhos para uma nova era. Alguns sinais já foram dados como oque ocorreu em 2008 na crise imobiliária nos Estados Unidos. Mas o socorro promovido pelo governo às instituições financeiras foi vergonhoso mesmo a despeito de certa relutância por parte dos congressistas. Porém venceu o dinheiro. E os mesmos bancos que promoveram o endividamento do povo e da Nação não quebraram e foram os principais financiadores da campanha de Barack Obama e agora de Trump.

Não há possibilidade de mudanças no curto prazo. Por causa das atividades que esse mercado produz
diariamente, menos se investe na produção que poderia gerar mais empregos. E os poucos empregados pelo mundo sofrem do medo instalado pela concorrência barata e escravocrata de muitos países, fato que tranquiliza a elite, afinal quem vai reclamar por melhores salários nesse ambiente? Não que mais empregados ateste a excelência do sistema, mas porque uma empresa deveria criar novos produtos, investir em vários fatores como mão de obra qualificada, maquinário e logística se pode todo dia especular e ganhar sem ter problemas com sindicatos, reclamações trabalhistas ou poucas vendas?

Confesso que participo diariamente desse game e uso como mea culpa o fato de me sentir um vingador: não é possível que só grandes bancos e instituições ganhem e por mais ínfima que seja, pessoas comuns devem absorver uma parcela desse lucro. É uma profissão odiosa mas o fato é que gosto...estranho! Enfim, ainda um planeta sem soluções para tanta pobreza e tristeza.


5 comentários:

  1. como te entendo, trabalhei num banco 35 anos
    bjs

    ResponderExcluir
  2. O mercado financeiro é complexo. Tenho um neto que se interessa, apesar de só 15 anos, por essa área... abração, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  3. um texto mto lúcido e reflexivo.
    por vezes, as contradições não se explicam, talvez se atraiam.

    abraço.

    ResponderExcluir
  4. ...e eu quero ficar longe...que coisa mais estressante!
    beijo! Uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  5. Aqui em Portugal... andam os contribuintes ainda a pagarem, através dos seus impostos, para uma série de bancos, não irem desta para melhor... depois de se terem metido nas aventuras, que o efeito dominó de 2008 originou, na área financeira...
    Bancos e banqueiros... viram tudo se esfumar... num repente!... Ainda hoje, andam os clientes de alguns desses bancos, tentando recuperar algum dinheiro... do tudo que perderam, depois de uma vida de trabalho...
    O mundo dos mercados especulativos... confesso que não me atrai... é de facto um game... começa-se ganhando... e quando nos contamina com o seu entusiasmo viciante... leva-nos ao limite do risco... e no fim... a maioria sai perdendo... aqui em Portugal... sentiu-se bem na pele... o que o entusiasmo bolsista, de outros tempos, deixou como legado... para todos!...
    Um grande abraço!
    Ana

    ResponderExcluir