28 de nov de 2011

LUZ VIBRAL E REFLETIDA (POR SRI AUROBINDO)


SRI AUROBINDO - 11 de agosto de 2010

Mensagem publicada pelo site AUTRES DIMENSIONS em 16 de agosto de 2010.

                                                              


Eu sou Sri Aurobindo.

Irmãos e Irmãs, recebam minhas saudações e minhas bênçãos.

É-me solicitado, hoje, expressar-me sobre o que é chamada de Luz refletida, Luz Vibral e traçar as ressonâncias entre projeção e real.

De um conjunto de coisas, que nós lhes demos pelas palavras e pelas Vibrações, relativas à diferença essencial existente entre a luz (assim nomeada em seu mundo) e a Luz tal como ela é nos Mundos Unificados, apareceu-lhes portanto, tanto intelectual como Vibratoriamente, que existe uma diferença importante entre a luz, tal como seus olhos a vêem, tal como seu cérebro pode concebê-la e observá-la, e a Luz existente nos Mundos Unificados.

Essas duas Luzes não são absolutamente as mesmas.

Elas não podem ser sobrepostas, nem são comparáveis, nem ligadas às mesmas sombras ou ainda às mesmas partículas.

Assim, vários ensinamentos literalmente «jogaram» com a Luz, chamando de Luz o que não era a Luz Vibral, mas unicamente uma luz refletida, em relação com uma projeção.

Assim, várias Ordens iniciáticas tiveram um maldoso prazer em chamar-se pelo nome da Luz.

Não é tempo para voltar em dados históricos, mas sim, para restabelecer a Verdade do que é a Luz.

Vários de vocês, sobre este planeta, Vibraram, pela adição da Luz Vibral em seu Universo, permitindo-lhes despertar as estruturas sutis chamadas de chacras e também outras estruturas recentemente descritas, chamadas de novas lâmpadas e novos chacras e novos corpos.

Assim, portanto, a Luz lhes é revelada sob forma de sua Vibração.

Nesse caso, nós falamos de Luz Vibral, para não misturá-la e não confundi-la com a luz refletida.

Na ilusão pela qual nós passamos, uns e outros, é chamada luz visível (ou invisível, aliás), um fóton, ao mesmo tempo onda e partícula.

Esta luz (ainda a luz do dia, a luz que permite ver) não é a Luz.

Ela é uma luz, de fato, refletida e desprovida de seus atributos existentes nos Mundos Unificados.

O fechamento e o isolamento desse mundo, na tripla falsificação, fez com que a Luz Vibral jamais pudesse se estabelecer na falsificação.

Existem, obviamente, diferenças importantes e essenciais para viver e para assimilar, entre a luz refletida e a Luz Vibral.

A luz refletida é a que percebem seus olhos.

A luz refletida é a que percebe o que vocês chamam de seu 3º olho.

A luz refletida é o que estudam os cientistas da Terra.

A Luz Vibral não tem qualquer de suas características visível ou estudada.

Assim como o descrevi em minha vida, quando falei da chegada desta onda de Luz que havia chamado, à época, também para diferenciá-la: Supramental.

Em meio aos Mutantes da Terra (aqueles que estão a cavalo entre duas verdades e duas realidades), coexistem a Luz Vibral e a luz refletida.

A característica, eu diria, essencial, da luz refletida é não fazer Vibrar a Consciência, mas, bem mais, dar-lhe a ilusão de Vibrar, fechando-a, e criando circunstâncias de fechamento, em certo número de mecanismos que evitam, ainda mais, mesmo só pensar na verdadeira Luz Vibral.

Porque, efetivamente, na luz refletida, existe certo número de leis, certo número de comportamentos previsíveis, tanto para a luz visível como para a luz refletida no cérebro, chamada de 3º olho.

Uma como outra participam de um princípio de falsificação totalmente idêntico.

É nesta falsificação, chamada também de matriz ou plano matricial ou astral, que se desenvolve o conjunto de forças e de egrégoras destinados a impedi-los de ir para a Luz Vibral.

Se aí, agora, se tentasse, com palavras simples, comparar ou opor Luz Vibral e luz refletida, se poderia traduzir certo número de comportamentos diametralmente opostos.

Assim, a luz refletida fecha e isola.
A Luz Vibral Une e Unifica.

A luz refletida acrescenta véus e ilusão.
A Luz Vibral desvenda e revela a Verdade.

A luz refletida emite um mínimo de Vibração cuja propagação é conhecida, segundo o princípio de propagação da luz e das leis físicas existentes neste universo dissociado.

As leis de propagação da Luz Vibral e o comportamento da Luz Vibral, assim como o detalhamos, são Inteligentes.

Existe, na montagem dos fótons que constituem as partículas Adamantinas, uma Inteligência, uma Inteligência que responde, certamente, ao Espírito.

A luz refletida não obedece, ao nível visível, a seu Espírito.
A Luz Vibral obedece a Seu Espírito, porque ela segue o Espírito e o acompanha e ela manifesta o Espírito.

A luz refletida impede de ver o Espírito, por certo número de projeção de imagens, seja em sua visão habitual, seja na visão do 3º olho.

Essas imagens não visíveis e, portanto, matriciais, são simples ou complexas.

Essas imagens, ocorrendo no 3º olho, são todas ligadas à matriz e ao plano astral.

Assim, portanto, existe, nessas projeções da luz refletida, todo um conjunto de elementos precisos, tanto de símbolos existentes na trama astral, como a memória mesmo de suas próprias vidas passadas na matriz, que pertencem à matriz.

Uma diferença essencial também é que a luz refletida não está no interior do que é físico, mas é aparente no exterior.

Eu me explico e, mesmo para um clarividente astral, ele vai descrever uma luz existente na periferia ou mais longe da estrutura física que vocês chamam de Aura.

A luz é portanto vista de maneira sutil, é uma luz refletida, existente no exterior da estrutura física.
Há, aí também, uma reversão.

Na Luz Vibral, e qualquer que seja a Dimensão, a Luz é contida e arranjada no interior da forma, e não no exterior da forma.

Esta é uma diferença fundamental entre a Luz Vibral e a luz refletida.

Em seguida, a Luz Vibral sendo Inteligente, ela é emissão, ela é Vibração e ela é, por Essência, multidimensional.

A luz refletida está presente, portanto, apenas na matriz.

Não existe nos Mundos Unificados, uma luz exterior a uma forma ou a uma entidade.

Nesta forma (seja o que vocês chamam de planeta, de sol), a irradiação da Luz Vibral se faz por um mecanismo interior, contrariamente à luz refletida, cuja irradiação se faz no exterior.

Existe, portanto, um sentido e uma orientação precisos, totalmente opostos, segundo o que se tem a fazer com a luz refletida ou com a Luz Vibral.

Assim, nos mundos dissociados, existe o que vocês chamam de Sombra: uma forma, uma estrutura vai se opor à propagação da luz que é então presa no interior das primeiras camadas da forma ou da estrutura.

Não há, portanto, na luz refletida, transparência nem clareza.

Na Luz Vibral, não há Sombra, não há, portanto, parada da Luz, na comunicação no interior de uma estrutura e de uma forma, como no exterior.
Aí, é uma diferença também fundamental.

A luz refletida pode se traduzir num modo visível, desta vez, ainda uma vez, por uma propagação que vocês chamam de linear, ondulatória e corpuscular.

Nos Mundos da Luz Vibral, portanto Unificada, a propagação não é uma propagação da Luz, mas uma ressonância da Luz.

Quer dizer que uma partícula Adamantina está presente em uma multidão de lugares, de espaços e de tempos.

O que não é o caso de uma luz que nós chamaremos, sempre, de refletida.

A passagem da Luz Vibral para a luz refletida é o próprio princípio da falsificação que se tornou possível pela adição, na Inteligência da Luz, de certo número de forças chamadas dissociativas, permitindo desestruturar as partículas Adamantinas, elas mesmas, em certo número de rompimentos, certo número de fragmentos que não podem mais se reunir.

Isso lhes mostra já a diferença de comportamento, mesmo em suas estruturas, entre a luz refletida e a Luz Vibral, quando esta começa a se manifestar, em vocês e por vocês.

Esta Luz Vibral será, antes de tudo, Vibração.
Vibração de suas estruturas, como Vibração da Consciência, eis que a Consciência é apoiada e apóia a Luz Vibral.

Isso corresponde também ao que chamei, em minha vida, para diferenciá-las, a energia do Prana e a energia do Supramental.

A energia prânica, vital, etérea, constituída de glóbulos de vitalidade, corresponde à organização de certo número de fótons, ao nível do plano astral invisível ao olho, enquanto que a Luz Vibral corresponde a gamas de Vibração e de Propagação que nada têm a ver com a teoria ondulatória e corpuscular da luz.

O fator essencial é a Inteligência e o outro fator está ligado a um fator de agregação.

A passagem da Luz Vibral para a luz refletida se acompanha de um princípio de dissociação, de rompimento e, portanto, de separação.

O retorno para a Luz Vibral se faz pela adesão, pela agregação, pela reunião do conjunto de partículas de Luz que tinham sido fragmentadas e rompidas.

Nesse sentido, pode-se dizer que a consciência limitada é fragmentária, enquanto que a Consciência Ilimitada é hologramática e Unitária, porque é a Verdade do que constitui a Luz, nos mundos dissociados, profundamente alterada com relação ao que é a Luz nos Mundos Unificados.

A associação da luz refletida por suas tecnologias vai poder criar luzes extremamente potentes sobre sua matéria, capazes, naquele momento, de atravessar a matéria, com efeitos térmicos.
Isso se chama os lasers.

A Luz Vibral, quando se organiza sob a Inteligência do Corpo de Existência, torna-se um Fogo não térmico, chamado de Fogo do Éter ou Fogo do Céu, em suas estruturas, não tendo de forma alguma o mesmo efeito e, felizmente, ao nível de suas estruturas físicas e sutis.

O laser (utilizado mesmo na medicina, tem por vocação cicatrizar), vai aquecer a matéria e seu corolário é furar, literalmente, o que existe ao nível dos corpos sutis.

A Luz Vibral que penetra até vocês, desde quase uma geração, e sobretudo desde quase dois anos, terá efeitos de agregação e, ao contrário, vai tornar coerente e Unitário o conjunto de suas estruturas físicas e sutis, permitindo realizar uma alquimia de transmutação que conduz ao que eu chamaria uma consumação dos envelopes físicos e sutis, permitindo o restabelecimento da Luz Vibral e permitindo-lhes juntar-se ao mundo da Luz Vibral.

Convém a nós portanto, aqui também, definir a diferença essencial existente entre projeção e real.
A projeção é uma exteriorização de um Pensamento.

Esse mundo é uma projeção exterior de um Pensamento, que conduziu à densificação de uma realidade não sendo o real, como todo processo de projeção.

Quem diz projeção, diz exteriorização.

Isso quer dizer sair da Unidade.

Não há, portanto, princípio de ressonância, como é o caso da Luz Vibral, mas sim princípio de exclusão através mesmo da fragmentação das partículas Adamantinas e da Luz Vibral, em um conjunto de partículas que vocês chamam de Sombra e Corpúsculo, fóton, cujo papel não é mais ser inteligente, mas obedecer às leis bem conhecidas de propagação da luz.

Toda a dificuldade foi que, durante vários milênios, não existia qualquer meio de conectar a Luz Vibral.

Assim, portanto, os seres que falaram de luz, até tempos muito recentes, não puderam viver além do reflexo da luz, ou luz refletida, num mundo invisível, existente no plano astral.

A problemática não é tanto no astral em si, mas sim em relação e em ressonância com os habitantes desta esfera astral, não vindos dos Mundos Unificados, mas vindos de alguns mundos que são, eles mesmos, dissociados da Fonte, a fim de fazer viver esta dissociação em outros povos, outras raças, outras civilizações e outros universos.

Assim, controlando a trama astral, há um domínio da luz refletida, permitindo atrair, pelo próprio reflexo desta luz, certo número de Consciências para viverem algumas experiências limitantes e que eu qualificaria de invalidantes porque refletir está sempre em relação com uma projeção e não com algo real, autêntico.

Assim se perdurou a ilusão da matriz, assim se cristalizou a projeção do Pensamento, nesse mundo, fazendo com que existam realmente dois mundos totalmente herméticos um ao outro, até o presente, exceto pela parte da Inteligência que pudemos, uns e outros, preservar na humanidade, em função de nossos diferentes papéis.

Somente muito grandes Seres foram capazes de transmutar a luz refletida em Luz Vibral e eles não o fizeram sozinhos, eles foram ajudados pelas forças da Luz Vibral.

Assim, há, nas numerosas tradições, nos numerosos ensinamentos, testemunhas que transcenderam o espaço e o tempo para tomar esses corpos, como esses veículos de luz refletida, em meio à Verdade.

Este é um ponto importante para viver porque, a partir do momento em que vocês vivem a Vibração, em suas Coroas Radiantes, no Fogo, é preciso evitar a armadilha da luz refletida.

Essa armadilha não é tanto como tal, uma armadilha, eis que faz parte do aprendizado normal de seu retorno à Unidade.

O truque é ali não residir mais do que a sabedoria, não ser atraído pela luz refletida.

É toda a diferença entre a Vibração existente na fronte e a Vibração existente no Coração.

Num caso, trata-se da Vibração da luz refletida.

No outro caso, trata-se da Vibração da Luz Vibral.

O que não é a mesma manifestação, o que não é a mesma finalidade.

Num caso, há a manutenção na ilusão e perduração (se essa palavra pode ser dita), efeito de continuidade, mesmo do plano astral.

A Luz Vibral não pode subsistir na matriz astral porque, naquele momento, ela viria em oposição total à luz astral.

Portanto, o real, a Luz Vibral, vem, literalmente, apagar, suprimir, consumir (quaisquer que sejam as palavras que vocês empreguem), a luz refletida, seja em sua visão interior, como no que é possível ver pela visão de seus próprios olhos.

Isso corresponde ao momento preciso, ao nível coletivo, ao que lhes foi dito, muito recentemente: “a Luz se manifesta a seus olhos, mesmo em meio à luz refletida”.

Não esperem ver esta Luz irradiar como os raios do sol, no jogo da sombra e da luz.

Esta Luz vem preencher a ilusão, a fim de consumi-la.

É esse processo preciso que é chamado de “a Ascensão” porque, naquele momento, a Consciência poderá se situar ao nível da Luz Vibral, ou então continuará a aderir à luz refletida.

É toda a diferença de destinação entre os seres que despertaram as Coroas Radiantes e aqueles que não as terão despertado.

Nesta interpenetração da luz refletida pela Luz Vibral, há portanto emaranhamento do real e da projeção.

O objetivo sendo tornar real o que não era, pelo desaparecimento da projeção.

Esse processo alquímico se vive como uma reversão e, sobretudo, como uma consumação.

Consumação que foi descrita por muito numerosos seres, relativamente ao fim que não é um fim, mas, de fato, um início.

Esse processo, vocês são chamados a viver, primeiramente a título individual, em sua estrutura e em sua consciência, para poder vivê-lo, no momento desejado, no conjunto desse sistema solar, no conjunto de sua Terra, no conjunto do que constitui sua vida.

Assim, portanto, a época que vocês vivem é uma etapa intermediária, preparatória, que visa fazê-los passar da projeção ao real, que visa fazê-los passar da luz refletida para a Luz Vibral, passar à mecanicidade da luz e restituir-lhes a Inteligência da Luz.

Aí está, em algumas palavras, o que esperava fazê-los tocar o dedo, relativamente a esses dois conceitos.

Se vocês têm questionamentos, eu terei prazer em tentar avançar mais adiante, sobre a significação e a vivência do que acabo de dizer, ainda precisando que o mais importante é, obviamente, a vivência, e não a significação.

Questão: como compreender então o que é Antimatéria?

Caro irmão, o que seu mundo chama de Antimatéria é, de fato, a Luz Vibral.

Vocês estão invertidos.

Esse princípio de inversão está presente, mesmo, em sua retina, na câmara escura do olho, que inverte a luz em seu olho, através de diferentes sistemas óticos, para reenviá-la, girada e cruzada, em suas esferas cerebrais de integração da visão.

É o mesmo processo.

O que vocês chamam de Antimatéria, o que vocês chamam de Chamas do Inferno, nada mais é do que a Luz Revelada e, de seu ponto de vista, do ponto de vista da projeção e da luz refletida, isso não pode simplesmente existir, porque isso é invisível aos seus olhos e à sua consciência, assim como ao seu mental.

Por que vocês crêem que o que chamamos, com vocês, de Anjos do Senhor, vindos em sua ilusão, sejam obrigados a portar estruturas que lhes permitam ver a Sombra que vocês são?

A projeção e a luz refletida não é nada mais que uma Sombra.

E, no entanto, de seu ponto de vista e do ponto de vista dos que estão encarnados, como eu fui, a antimatéria era a não existência e a Sombra, onde o Nada percorre o conjunto do que se vê no Céu.

Mas, no entanto, é exatamente o inverso, na Verdade.

Questão: o que é do Prana?

O Prana, ou glóbulo de vitalidade, corresponde à associação de certo número de fótons existentes ao nível da matriz astral.

Ele não é de forma alguma invertido, ele é refletido e ilusório, pela própria fragmentação das partículas de Luz, real, existente nos Mundos Unificados.

Simplesmente, as portas que foram abertas, há uma geração, neste planeta, e desde pouco tempo, permitem efetivamente sobrepor, ao Prana, as partículas Adamantinas que alguns, aliás, podem perceber.

O Prana é uma associação de fótons que eu qualificaria de intermediária, porque não pertence inteiramente à projeção sensível e visível por seus olhos, mas situam-se mais ao nível da matriz astral, do plano astral.

A particularidade de deslocamento desse Prana (ele é meio transparente): sua velocidade de deslocamento é lenta, quando é vista por alguém que se nomeia clarividente.

A Luz Vibral, ou Agni Deva, tal como se apresenta em sua Dimensão, sempre para um clarividente, é uma partícula muito menor que uma partícula de Prana e, no entanto, é constituída de 144.000 fótons.

Ela possui uma cauda, como um Cometa, ligada à sua velocidade de deslocamento da referida partícula, penetrando, literalmente, e rasgando a matriz astral em seu ambiente.

Quando o Arcanjo Miguel os chamou de “Filhos da Luz, Ancoradores da Luz”, isso corresponde à adição de partículas Adamantinas em suas estruturas limitadas, permitindo rasgar, ao seu nível, a trama astral, correspondente à ruptura da trama astral, tal como foi realizado, em grande parte, pelo derramamento das Chaves Metatrônicas, há um ano.

Os glóbulos de vitalidade aparecem sombrios, para um clarividente, como desprovidos de luz, o que é paradoxal, enquanto que partículas Adamantinas, para um clarividente, são extremamente brilhantes, extremamente densos, extremamente, não irradiantes, mas radiantes, no interior deles mesmos.

Assim, uma partícula Adamantina é plena de Luz.

Um glóbulo de Prana é como uma carcaça, vazia de luz.

Questão: qual é o significado da palavra Adamantina?

Adamantina vem de Adama, remetendo a um nome conhecido, me parece, nesta humanidade, ligado ao mundo chamado de Thelos, Agartha intraterrestre, vindo mais precisamente de Adama, Adame, o que foi chamado, na língua falsificada, o homem original, a manada.

O que significa, em linguagem bem além da ilusão criada na matriz, não manada, mas liberdade.

Questão: a integração dessas partículas Adamantinas é um processo obrigatório para a passagem na Unidade?

Inteiramente.

Só pode se produzir no momento em que a Coroa Radiante do Coração se ativa.

Em outros termos, vocês não podem agregar as partículas Adamantinas por qualquer esforço de vontade ou por qualquer desejo.

É a ativação da Porta do Coração, Porta interdimensional, que permite às partículas Adamantinas se revelarem, ao redor de vocês e em vocês, criando portanto as condições propícias para sua extinção da matriz.


2 comentários:

  1. Obrigada pelo texto, Ricardo. Era exatamente o que eu precisava ler hoje! Um abraço, Namaste, Blue

    ResponderExcluir