20 de nov de 2011

WILHELM REICH


WILHELM REICH

"Wilhelm Reich é um personagem controvertido devido à amplitude e ao alcance de suas idéias,e ao impacto das mesmas em nossa época.Sua filosofia fez deslocar o pêndulo,do mecanicismo da abordagem científica para a identidade funcional do homem com a natureza e o cosmos.
Numa escala evolutiva,durante os estágios primitivos de seu desenvolvimento,o homem tentou compreender seu meio ambiente,dentro e fora de si mesmo,através de suas emoções e sensações corporais,mas seu nível de consciência era limitado.Na época de Jesus,quando predominavam o caos e a destruição em meio a um mundo de elementos estritamente físicos,a importância da mente foi apontada para que se fizesse luz sobre o caminho do desenvolvimento pessoal.A chama inicial do autoconhecimento foi seguida,no entanto,por muitos séculos de penumbra.Durante a renascença,porém,o homem viu-se novamente tentando afastar-se da confusão de suas emoções,sentimentos e sensações,da escuridão,do misticismo e do sobrenatural.Passo a passo a idade da razão e a revolução industrial foram se instalando e conferindo um poder supremo à mente.Mas este processo divorciou o homem de sua própria natureza física,distanciou-o de seus sentimentos:o pêndulo havia oscilado de volta para o lado oposto.
O trabalho de Reich faz o ser humano retornar à sua natureza física e retomar a importância que a mesma tem em sua vida e desenvolvimento.Numa era como a nossa,em que o conhecimento científico é supremo e em que as funções do homem são progressivamente compartimentalizadas pelo conhecimento preciso e detalhado da ciência,e pela complexidade da circunstância ambiental,o trabalho de Reich inverte o sentido do processo de desmembramento e devolve ao homem a unidade de sua natureza.A humanidade resiste a isto porque todos nós tentamos desesperadamente fugir à dor da verdadeira e concreta experiência que passa por nossas emoções e corpo.Temos receio de perceber nossa negatividade,por medo de perdermos o controle sobre ela.Remetemo-la ao inconsciente e,desse modo,atuamos movidos por ela,indiretamente,de modo destrutivo,intelectualizando os elementos básicos da vida.
Reich reconheceu que os aspectos negativos do homem,expressos na distorção de seu corpo e de sua mente(seu conceito de estrutura de caráter),impedem-nos de experimentar o fluxo de vida dentro e fora de si,detendo dessa maneira seu desenvolvimento.A filosofia de vida de Reich é positiva,contrariamente à negatividade básica de nossa cultura,com seu ceticismo baseado na atitude científica de um conhecimento objetivo e detalhado que,até o momento,não conseguiu unificar os mundos interior e exterior do homem."

"O trabalho de Reich abrange a profundeza do universo,alcança os extremos do microcosmos e do macrocosmos.Também contribuiu significativamente para muitos campos do conhecimento,como a psicologia,sociologia,medicina,biologia,patologia,a agricultura e a meteorologia.Nossa civilização produziu poucas pessoas que,por meio de seu entendimento dos processos vitais,tenham se tornado navegadores da vida.Reich navegou pela humanidade até as profundezas de sua existência biológica.
Entretanto,muita dificuldades responsáveis por uma postura de inaceitação de seu trabalho,afora a resistência natural do homem diante das posturas revolucionárias,podem ser associadas à natureza de sua personalidade.Segundo muitos de seus colaboradores,Reich era muito humano,natural e infantil.Era um cientista natural.Todos os seus dados eram relatados mas sempre houve de sua parte um sentimento constante de urgência a respeito de seu trabalho ser aceito e comunicado a pessoas importantes.Diante de situações adversas reagia com tristeza,mágoa e tinha a sensação de ser um gênio incompreendido.Quando tratava com outras pessoas,às vezes agia como se fosse diferente,superior e assim distanciava pessoas importantes que estavam interessadas em seu trabalho.
Tinha uma profunda sensação cósmica,mas ao meu ver,não conseguiu efetuar as conexões finais com o conceito de alma,como o fez Jung.Jamais aceitou a verdadeira espiritualidade em seus trabalhos publicados"

"Aprofundemo-nos um pouco mais traçando algumas ligações históricas,tendo em vista seu passado e seu ambiente cultural nos anos de sua formação.Por volta do final do século XIX houve uma violenta reação contrária aos conceitos de energia que estavam sendo propostos na Europa Continental com os trabalhos de Mesmer,Reichenbach e outros.Na Inglaterra,essas pesquisas haviam sido conduzidas em conexão com fenômenos espiritualistas,que cientistas importantes como o professor William Gregory,Sir William Crookes e Sir Oliver Lodge tinham se proposto a investigar seriamente.Já no continente,assumiu a forma de experiências com a hipnose.
Lembremo-nos de que Freud descobrira as forças do inconsciente e que havia trabalhado na clínica de Liébault em Nantes,com fenômenos hipnóticos,estados de transe e,subsequentemente,com Breuer,pesquisando os fenômenos energéticos da histeria.Embora Freud tenha desenvolvido o conceito de libido como um conceito energético real,rejeitou posteriormente tanto o aspecto energético da libido quanto a espiritualidade,que compunha o cerne do trabalho de Jung.
Na época em que Reich estava se formando,dava-se muita ênfase à importância da mente e do inconsciente,como corolário do trabalho de Freud.A espiritualidade contemporânea na Áustria e Alemanha estava representada por um espiritismo de baixo nível,considerado apenas um pouco acima da superstição.Diante da condenação do trabalho de Mesmer e seguidores,e das pesquisas dos espiritualistas britânicos,Reich não enxergou o outro lado da verdadeira espiritualidade.A impressão é que ele deve ter tido um problema sério nessa esfera,que ele nunca elaborou.Chamou-o de misticismo e explicou-o como cisão na unidade de estrutura.Incorreu no erro comum de rejeitar toda a espiritualidade em virtude dos excessos e do charlatanismo,aos quais,com demasiada frequência,termina se prestando.Em vários de seus últimos livros,idealizava sua auto-imagem e apresentava-se como salvador do mundo,como um grande messias dos tempos modernos.A energia orgônica tornou-se sinônimo de Deus,força suprema que explicava todos os fenômenos da vida."

"Olhando essa fantástica era por um ângulo em perspectiva,constatamos que diante da descoberta do inconsciente,precisa ser assinalado que: enquanto Freud trabalhou essencialmente com a mente do homem,Jung concentrou-se no relacionamento entre homem e sua alma enquanto entidade,e Reich focalizou as expressões biológicas e físicas do homem em suas relações com a totalidade do ser.Os três homens representam os três aspectos do Homem:
corpo,mente e espírito!"


John C.Pierrakos (psiquiatra grego,médico e diretor do Instituto de Análise Bioenergética)
Trecho extraído do livro: Orgônio,Reich &Eros de Edward Mann