19 de jan de 2015

PENSAMENTO E IMAGEM


Olá amigos! Estou retornando aos poucos e desejo a todos um ano cheio de milagres e permissões.

"Quando você está sentindo o desconforto por ver outras pessoas numa situação de escassez, ou de necessidade, e decide ajudá-las a partir de seu estado de desconforto, nenhum valor duradouro ocorre, por duas razões importantes: primeiro, você não está em alinhamento com a Energia de sua Fonte e, assim, você não tem nenhum valor real a dar; e, segundo, sua atenção à necessidade delas apenas amplia a necessidade delas.
É claro, é maravilhoso ajudar os outros, mas você tem que fazer isso a partir de sua posição de força e alinhamento, o que significa que você tem que estar em alinhamento com o sucesso delas quando você oferece assistência, e não em alinhamento com o problema delas.
Quando sua consciência a respeito da situação delas lhe faz se sentir desconfortável e você oferece ajuda para que elas se sintam melhores e para você mesmo se sentir melhor, você não está no Vórtice e não está ajudando. Quando você sente uma avidez inspirada para oferecer algo porque você quer participar da felicidade delas, do processo bem sucedido, sua atenção ao sucesso delas se harmoniza com o ponto de vista da Fonte; e os recursos infinitos do Universo estão à sua disposição. E isso ajuda."
Abraham


9 comentários:

  1. Nunca parei para pensar desse angulo, bom de ler e aprender, beijo

    ResponderExcluir
  2. Interessante...No fundo, o foco deve centrar-se na positividade do sucesso, o que só pode acontecer se o problema for verdadeiramente encarado como resolúvel , no sentido definitivo do termo. O foco no sucesso da accão, faz com que o pormenor de uma qualquer dificuldade perca a força. Algo que não se coaduna com o "brincar à caridadezinha", (vou ajudar para ser uma boa pessoa, ou sentir-me bem comigo próprio), centrada primeiramente naquele que ajuda, e não naquele que precisa de ajuda.
    Quanto à imagem; um foco bem centrado, irradiante de luz quente, em todas as direcções...:-)
    Bem vindo às lides, Ricardo.
    xx

    ResponderExcluir
  3. Quanto aos desejos para o ano novo bem deles preciso/precisamos...Obg pelo gesto, Ricardo.
    A postagem: li muito pausadamente, refletindo, ao mesmo tempo, como me posiciono face à situação em causa. Já prestei apoio em situação de carência, pois se tratava da noite da consoada. Também já tive jovens de uma instituição a passar comigo e família a época natalícia. Mas foram apoios pontuais. Não gosto da dita caridadezinha. E o que gosto mesmo é de promover o bem estar pessoal junto das pessoas mais desfavorecidas, falando, sorrindo, incentivando. Acredito muito mais nesta atitude. Em suma, como concordo com o texto citado, vou estar mais atenta.
    Bjo, Ricardo :)

    ResponderExcluir
  4. Ricardo , agradeço os desejos e o texto que brilham como a mandala . Beijos

    ResponderExcluir
  5. Qué bien Ricardo querido muy bueno , ya pronto estaré otra vez más seguido me gustó te dejo un cordial saludo !

    ResponderExcluir
  6. Completamente de acordo, Ricardo!
    Infelizmente, na maior parte das vezes, insistimos em ver o mundo, senti-lo e compreende-lo, centrados em nós mesmos...
    Um fantástico retorno, Ricardo!
    Adorei a imagem, e o texto!
    Abraço
    Ana

    ResponderExcluir
  7. Belo e pertinente questionamento...abraços de feliz 2015 pra ti

    ResponderExcluir