19 de jan de 2012

HERÁCLITO DE ÉFESO (535-475 AC)

A vida do mestre indiano Rajneesh teve seus altos e baixos. Todo seu percurso na América gerou muita polêmica e contradições, porém estes dias li uma reflexão muito boa deste guru:
"Se o ocidente tivesse seguido o filósofo grego Heráclito, em vez de Platão, a história das idéias teria sido muito diferente e o conceito de Maya seria agora tão central para o pensamento ocidental como é para o oriental."
E para entender o conceito hindu de Maya, devemos saber que o Infinito Consciente, na forma de Brama, é o grande Criador e sonhador. Ele sonha o sonho de nossa existência e realidade. Tratando-se de um sonho do Criador, então tudo deve estar conectado...a tudo chamamos "elementos sonhantes", incluindo nós seres humanos. Na verdade o Todo é uma coisa só em eterna flutuação e todas as construções dos cinco sentidos são apenas interpretações relativas da realidade! Em ensaios anteriores, filosofamos que a realidade pode ser feita de telas instantâneas, filmes que acontecem a cada segundo e vão mudando. Vão fluindo como um rio...
Heráclito é anterior a Sócrates e Platão. E me atrevo a comentá-lo nesta postagem.
Para ele cada construção existente no universo está sempre  num constante estado de fluxo, sempre a seguir um processo de transmutação e novidade.
Dialético e dualista.
Ele percebeu que tudo tem uma contraparte e assim a vida é uma luta incessante entre forças opostas que buscam o repouso...não muito diferente de vários aspectos da física e percepção de Isaac Newton.
Mas Heráclito não era conformista: no repouso estava a condição de uma nova possibilidade de fluência, e assim tudo é um eterno contínuo.
Para isto se processar deve haver algum tipo de ordem, algo que organiza a eterna instabilidade?
Nada disso! Para ele,apenas deveríamos nos posicionar corretamente:Nada Somos,Estamos Sendo!
Sua famosa analogia é válida:nunca penetramos em um mesmo rio duas vezes (bem como o rio também não recebe duas vezes a mesma pessoa). 
Madame Blavatsky: "Do ponto subjetivo, tudo é um eterno Ser. E do ponto objetivo, tudo é um eterno Vir-a-Ser."
Somos a unidade dentro da dualidade. E nesta situação, penso que Heráclito (bem como Parmênides) visualizou a condição dos humanos. Faltou a ele o entendimento que podemos afetar a relação do fluxo contínuo, na verdade comandá-lo!
Heráclito e hindus estão certos ao intuir a conexão entre as coisas. Este pensamento é tão poderoso que, com simplicidade, pode explicar muita coisa...inclusive que o Big Bang nunca existiu! Não há um começo de nada e para nada. Com exceção do mistério do Infinito,da Fonte...de Brama.