14 de fev de 2012

MISSION TO MARS

Uma teoria interessante este filme propõe: nós humanos somos irmãos de sangue de uma raça alienígena que em outros tempos, habitou o planeta Marte. Vale a pena, possui belas cenas e ótimos atores! Mas os detalhes que sempre me marcaram se anunciam mais para o final do filme, quando os astronautas humanos, em missão de resgate de alguns companheiros presos no planeta, conseguem penetrar na misteriosa "montanha-rosto" e topam com a seguinte cena:


Uma verdadeira holografia do sistema solar ganha vida e mostra oque teria acontecido com os habitantes marcianos e os motivos de sua futura prospecção na Terra. E nisto um belíssimo exemplar de ser alienígena dá o ar da graça! Muito bom e bonito este seu encontro com os humanos. Penso ser assim que um dia iremos também fazer com todos os brothers que anunciam sua chegada por aqui...


Algo interessante e revelador acontece: o alienígena enfia a mão em seu peito e dele retira uma cadeia completa de seu próprio DNA, na verdade e propriamente, o nosso!Isto evidencia sua constituição etérica e fotônica, embora ele se pareça de carne e osso. No momento seguinte ele oferece sua mão a um dos irmãos humanos e o aperto parece ser bem real, bem "sólido"...nada estranho para quem pode conduzir sua vontade pelo pensamento: seres unificados podem vibrar em densidades diferentes e se adaptarem rapidamente a alguma taxa vibratória.


Talvez o detalhe mais interessante seja uma das últimas cenas: o astronauta Gary Sinise,ao decidir acompanhar seu irmão celeste, é obrigado a mergulhar num líquido que se parece com água, porém nota-se milhares de "luzes" se agitando dentro dela. Quando não aguenta mais segurar a respiração,descobre que respira a água.
Está aí uma das propriedades fantásticas(e ainda não descoberta por nossa ciência) do Prana em atividade consciente.
Show este filme...