3 de jul de 2012

A POESIA DE NOSSA ORIGEM




The Starseed Transmissions
 Ken Carey

"Como foco da atenção do Criador, você esteve vagando na Criação durante bilhões de anos, expandindo-se e contraindo-se, entrando e saindo desta e daquela galáxia, deste e daquele sistema solar. Por onde passa, você vê a matéria que seu Pai criou. Você observa as muitas e maravilhosas formas que ela toma:os poderosos sóis, os gigantes rubros, os anões brancos, as vastas galáxias em espiral, os quasars, os buracos negros, os buracos brancos. Observa as incríveis contorções do tempo e do espaço, que ocorrem nos vários campos gravitacionais que você atravessa. Nota os planetas, as luas, os asteróides e os cometas que circulam dentro de cada sistema solar que você visita. Ao léu, você segue, o representante do Pai, a atenção do Pai, deleitando-se nos mundos que foram trazidos para a existência.
Mas, todos esses mundos são físicos. São todos feitos de matéria. Feitos da energia-atenção garantida pelo Pai. Têm uma certa substância, uma certa solidez que, a você, como espírito, lhe falta. Você compreende isto como limitação desses mundos. No entanto, algo neles desperta a sua curiosidade.
Mais tarde, sobrevém-lhe uma ideia. Você começa a pensar se não poderia, de alguma forma, cobrir-se de matéria e fazer para você mesmo um corpo físico no qual pudesse viajar, percebendo a matéria da mesma perspectiva que ela se percebe. A ideia é cheia de paradoxos, mas algo nela o leva a pensar. É um enigma, e você gosta de enigmas. Enquanto as eras vão passando, você pondera, tentando encontrar uma solução que faça funcionar sua ideia.
Até então não havia vida biológica no universo.
Nas suas viagens pelo universo físico, você sempre manteve a consciência separada da matéria que observava. Mas, diante dessa ideia, tudo mudou.
Você procurou, até encontrar, um planeta adequado para o que queria, situado num sistema solar jovem e estável. Então focalizou sua atenção e seu corpo vibratório de uma maneira inteiramente nova, aberta, muito poderosa e plena de amor. Suavemente, devagar, você se aproximou do planeta.
À medida que as orlas mais externas de seu campo vibratório tocaram as águas do planeta, partículas de matéria antes inertes começaram a vibrar suavemente ao ritmo do seu ser, alinhando-se com os padrões de energia encontrados na periferia de sua consciência.
Lá, na plataforma oceânica pré-cambriana, entraram em combinação para formar as primeiras células, os primeiros minúsculos recipientes de sua consciência."