3 de dez de 2011

RUDOLF STEINER




Embora este grande ser humano seja lembrado por todo seu trabalho na área educacional,sua contribuição atingiu as artes,pedagogia,farmacologia,assuntos agrícolas e muitos outros.
Membro da Sociedade Teosófica e posteriormente fundador da Antroposofia,seu maior legado foram os ensinamentos que experimentou como ser humano fluente,em consciência,dos mundos físico e astral.Toda esta vivência nos foi repassada com um caráter muito científico mas também com simplicidade e amor ao próximo.Era seu desejo maior ajudar aos humanos entender melhor o mundo que nos cerca e interpenetra...lutou gentilmente por nosso despertar!



Mundo e Consciência Animal
palestra em 1909

" Os animais não possuem um eu,tal como o homem o possui.Tal eu só existe no homem de hoje,na Terra.Esses eus humanos são de tal natureza que cada homem tem um eu encerrado em si.No caso dos animais é diferente:os animais tem um eu grupal,uma alma grupal.Oque significa isto?Um grupo de animais da mesma espécie e de configuração idêntica tem um eu comum;por exemplo,todos os leões individuais tem um eu conjunto,bem como todos os tigres.
Os animais têm seu eu no mundo astral.É como se um homem estivesse atrás de uma parede com dez orifícios e,através destes,enfiasse seus dez dedos.Não seria possível ver o homem,mas qualquer cabeça sensata concluiria:aí atrás há um poder central que pertence aos dez dedos.Assim ocorre com o eu grupal.Os animais individuais são apenas os membros.
Aquilo a que pertencem está no mundo astral.Esses eus animais não são semelhantes aos humanos,embora considerados espiritualmente permitam-se comparar bem,pois um eu grupal animal é uma entidade muito,muito sábia.O homem,como alma individual,está longe de ser tão sábio.Consideremos,por exemplo,determinadas espécies de pássaros:que sabedoria deve estar aí contida,para que eles migrem para altitudes e direções bem determinadas a fim de escapar do inverno e,na primavera,retornem por outros caminhos!Nesse vôo de pássaros reconhecemos forças de atuação sábias,dos eus grupais.Podemos encontrá-las em toda parte,no reino animal.
Os homens são muito mesquinhos quando têm de registrar os progressos humanos.Recordemo-nos de nossas aulas na escola,quando aprendemos como,na Idade Média,pouco a pouco surgiu a corrente da época moderna.A Idade Média,seguramente tem coisas significativas a registrar,como o descobrimento da América,a invenção da pólvora,a arte de imprimir livros e finalmente,também o papel de linho.Foi,sem dúvida,um progresso significativo usar este produto em lugar do pergaminho;entretanto,a alma grupal das vespas já havia feito o mesmo há milhares de anos,pois o vespeiro é feito precisamente do mesmo material que o papel produzido pelo homem:compõe-se de papel.
Só gradualmente o homem vai descobrir como certas combinações de seu espírito se relacionam com aquilo que as almas grupais elaboraram dentro do mundo."


Fragmentação e Queda do Homem
palestra em 1909

" Hoje,quando o homem dorme,permanecem no leito o corpo físico e o corpo etérico.O corpo astral e o eu se retiram.A consciência se apaga.Tudo se torna escuro,negro,mudo.Na época atlântica,a diferença entre sono e vigília ainda não era tão grande.Em estado de vigília o homem ainda não via contornos tão firmes,perfis tão nítidos,cores tão intensas,ligados às coisas.
Quando acordava pela manhã,mergulhava como que em uma massa nebulosa.Não havia nitidez maior do que quando,por exemplo,vemos luzes passando através da neblina,com uma aura.Em compensação,sua consciência não cessava completamente durante o sono,e então ele via as coisas espirituais.
À medida que o homem progredia o mundo físico ganhava sempre mais seus contornos,mas em compensação o homem perdeu sua clarividência.Então a diferença passou a ser cada vez maior:em cima,o mundo espiritual tornou-se cada vez mais obscuro;embaixo,o mundo físico ficou cada vez mais claro.
É do tempo que homem ainda percebia as coisas lá em cima,no mundo astral,que derivam todos os mitos e lendas.Ascendendo ao mundo espiritual ele conhecera Wotan,Baldur,Thor,Loki e entidades que ainda não haviam descido ao plano físico.
Isto se vivenciava no passado;e todos os mitos são recordações de realidades reais"